BRASIL INAUGURA 1º HUB DE INOVAÇÃO PARA A INDÚSTRIA MINERAL

Inovação na prática, ao vivo, voltada exclusivamente para a indústria da mineração. É o que os participantes do Hub da Mineração (ou Mining Hub – www.mininghub.com.br) irão desempenhar em um amplo e moderno espaço, situado na unidade da WeWork no bairro Savassi de Belo Horizonte (MG). Esta iniciativa é inédita no mundo, tem o apoio do Instituto Brasileiro de Mineração – IBRAM (www.portaldamineracao.com.br/ibram), a adesão de 18 mineradoras, entre as quais, as maiores do País, fornecedores do setor, empreendedores e startups, pesquisadores, entre outros.

Grandes marcas endossam Hub da Mineração

A proposta da estruturação do Hub da Mineração surgiu das mineradoras e conta com o apoio do IBRAM. Já são 18 mineradoras participantes: Anglo American, AngloGold Ashanti, ArcelorMittal, Bahia Mineração, Bemisa, CBMM, CMOC, CSN, Ferrous, Gerdau, Kinross, J. Mendes, Mineração Morro Verde, Nexa Resources, RHI Magnesita, Samarco, Mineração Usiminas e Vale. Além das mineradoras, empresas da cadeia de fornecedores também estarão no Hub da Mineração: Accenture, Haver & Boecker, IHM Stefanini, ISQ, LGA Mineração, Outotec, Petronas, Sotreq, Thyssen Krupp.

Mesmo que sejam concorrentes em vários mercados, as mineradoras irão atuar em conjunto. “Elas e os demais participantes do projeto desenvolverão as soluções em conjunto e as compartilharão para que todas sejam beneficiadas. O Hub representa mais do que um espaço de inovação. É um novo marco nas relações comerciais e institucionais da mineração brasileira e, também, um diferencial competitivo setorial perante os competidores internacionais”, avalia Walter Alvarenga, diretor-presidente do IBRAM.

“Além de uma iniciativa pioneira no setor, o Mining Hub consiste no espaço ideal para a experimentação. Essa parceria com as startups e os projetos de base tecnológica possibilitará que as mineradoras brasileiras se tornem ainda mais competitivas, seguras e com operações mais sustentáveis. Mais do que soluções para as cinco áreas de atuação elencadas neste primeiro ciclo (leia mais adiante), estamos construindo uma nova cultura pautada no compartilhamento de experiências e de conhecimento, na criatividade e na inovação. A longo prazo, estaremos mais próximos dos stakeholders e mais capazes para atrair novos talentos, sendo estas as maiores conquistas do projeto”, diz Jayme Nicolato, CEO da  Ferrous Resources do Brasil.

“A Vale está sempre ampliando o olhar para o ambiente externo, buscando parceria com instituições, fornecedores, outros mineradoras e startups. O Mining Hub é um ponto de convergência desse grupo. Esperamos ter acesso a propostas e ideias inovadoras, porém, maduras, factíveis e viáveis para o negócio”, afirma Gustavo Vieira, CIO Global da Vale.

Hub receberá inscrições de propostas até 25 de janeiro

O Hub da Mineração foi inaugurado oficialmente neste dia 17/01. No início de dezembro foi divulgado um edital e até dia 25/01 os empreendedores poderão cadastrar suas propostas. Neste primeiro ciclo, deverão ser acelerados projetos inovadores voltados a cinco áreas de atuação: Segurança (Operacional e SSO – segurança e saúde ocupacional); Gestão da Água; Fontes de Energia Alternativa; Eficiência Operacional; e Gestão de Resíduos.  No período de um ano estão previstos 3 ciclos de aceleração de projetos.

Ocupando um andar inteiro da WeWork, inaugurada em novembro de 2018, o Hub da Mineração é executado dentro do WeWork Labs, plataforma de inovação que oferece suporte a startups e a grandes empresas que busquem projetos capazes de transformar os seus setores.

“O Mining Hub é o primeiro espaço com atuação do WeWork Labs no mundo com foco em um segmento específico, uma iniciativa que surgiu liderada pelas próprias mineradoras e beneficia todos os envolvidos. De um lado, grandes empresas se beneficiam da criatividade e inovação trazidos pelas startups, que, por sua vez, conseguem ter acesso aos principais players do setor e atuar de maneira efetiva na solução de desafios reais”, afirma Bruno Scolari, responsável pelo WeWork Labs em Minas Gerais.

A Neo Ventures é a empresa responsável pela operacionalização do Mining Hub. Ela faz a ponte entre mineradoras e todos os stakeholders envolvidos; desenvolve e executa projetos para grandes empresas, governos e ambientes de inovação, cujos representantes acreditam que as parcerias com startups e centros de tecnologia são diferenciais competitivos para a sobrevivência e a transformação das suas instituições.

Hub irá estimular mais negócios e muitas inovações na cadeia produtiva

A expectativa é que os projetos desenvolvidos no Hub irão evoluir para se transformarem em novos negócios ao longo da cadeia produtiva da indústria mineral. “Pequenas, médias e grandes empresas serão envolvidas e isso irá movimentar a economia dos estados e do País, enquanto que espera-se que as inovações proporcionadas pelo Hub da Mineração gerem mais ganhos para as empresas associadas”, diz Walter Alvarenga, do IBRAM.

 

“A Nexa entende que é fundamental criar parcerias estratégicas para desenvolver projetos de inovação com outras mineradoras. Todos saem ganhando com um setor mais fortalecido, moderno e inteligente. O Mining Hub está totalmente em linha com a atuação da empresa e com o trabalho de inovação que a Nexa já faz como o Mining Lab, por exemplo. O Hub ajuda a oxigenar a Nexa e a trazer novos insights em complementação ao trabalho que já realizamos, mas com a importante contribuição técnica de profissionais de outras mineradoras”, diz Jones Belther, Diretor Executivo de Exploração Mineral e Tecnologia da Nexa Resources.

Para Gustavo Vieira, da Vale, a mineração vem buscando estar na vanguarda das inovações tecnológicas. “A mineração sempre teve papel estrutural nos avanços mais importantes. O setor está sempre se reinventando para o futuro. Neste momento histórico, por exemplo, a inovação se traduz fortemente na eletrônica ultracompacta e no uso de energia limpa e eficiente. Dois processos que só são viabilizados pela mineração, afirma.”

Áreas que receberão atenção do Hub da Mineração

 

Situação atual Possíveis soluções tecnológicas
Saúde e Segurança Mineradoras querem aumentar prevenção e reduzir acidentes no trabalho Simuladores em realidade virtual para treinamentos;

 

Inteligência artificial nas minas;

 

Uniformes com sensores de fadiga.

Gestão de Água A mineração reutiliza boa parcela de água. E busca novas técnicas que evitem uso excessivo desse recurso. Equipamentos de limpeza que evitem desperdício;

 

Monitoramento de devolução de água para o manancial;

 

Compartilhamento de custos da gestão hídrica com outros usuários.

Gestão de Rejeitos As mineradoras pretendem dar destinações comerciais aos rejeitos, que, geralmente, são armazenados em barragens. Equipamentos para transformar os resíduos em matérias-primas para a indústria;

 

Tecnologia para reduzir custos de transporte dos rejeitos.

Fontes de Energia As mineradoras querem diminuir o peso elevado dos custos com energia em suas operações Veículos autônomos;

 

Veículos movidos a energia renovável;

 

Tecnologia para operar usinas solar ou de biomassa nos empreendimentos minerários.

Eficiência Operacional Os preços dos minérios são estabelecidos livremente nos mercados internacionais e isso gera incertezas, em relação à cotação do Real perante o Dólar. Cortar custos constantemente é uma obrigação na gestão operacional. Uso de impressoras 3D para gerar caçambas mais leves para caminhões que transportam minérios;

 

Inteligência artificial aplicada aos processos logísticos;

 

Mapeamento do grau de pureza dos minérios antes da fase de exploração.

 

Fontes: Mineradoras Ferrous, Nexa Resources e Vale, IBRAM, ICMM, BIRD, CNPQ, DELOITTE, Revista Época Negócios