Cavernas do Peruaçu realiza projeto com escolas públicas

A principal intensão do projeto é apresentar as unidades de conservação como lugares efetivamente educativos.
Com intenção de estimular a aproximação das instituições de ensino, dos estudantes e das comunidades em relação as unidades de conservação, a equipe do Parque Nacional e a APA Cavernas do Peruaçu realizou a primeira edição do projeto Escolas nas Cavernas. O encontro aconteceu no Centro de Visitantes da unidade e reuniu 25 pessoas (professores, secretárias, diretores, bibliotecários) e 40 estudantes de oito escolas da rede pública, que atuam no interior e no entorno da unidade.
A principal intensão do projeto é apresentar as unidades de conservação como lugares efetivamente educativos, com potencial de trabalhar com qualquer conteúdo programático. E, ainda, despertar interesse nos jovens, para a realidade da gestão das áreas protegidas e sua relação com o cotidiano e relações sociais, contribuindo assim para a construção de novos conhecimentos e valores essenciais para a conservação da biodiversidade. O programa também atuou na formação de professores para trabalhar a educação ambiental nas escolas de comunidades rurais, no cotidiano dos jovens estudantes e de suas famílias.
Para Raiane Viana, analista ambiental da APA Cavernas do Peruaçu, idealizadora e coordenadora do projeto, as unidades têm potenciais de promover um espaço educador a céu aberto. “Escolas nas Cavernas visa divulgar as unidades para o seu público interno. Ele surgiu da constante necessidade de maior aproximação com as comunidades, e nada melhor que o ambiente escolar para fazer isso, uma vez que ele tem ampla capilaridade e ainda abrange os futuros protagonistas dessas comunidades, que é a juventude”, destaca.
Já foram quatro sábados com encontros presenciais para a capacitação. No primeiro, os integrantes conheceram o Parque e a APA Cavernas do Peruaçu, participaram de uma dinâmica, sobre a importância das áreas protegidas, e de uma oficina sobre educomunicação. O segundo e o terceiro encontros foram marcados por cursos sobre a biodiversidade, arqueologia, espeleologia, arte e interdisciplinaridade.
Um dos objetivos do programa é que cada escola desenvolva alguma ação prática, e também um dia de campo com visita ao Parque Nacional Cavernas do Peruaçu. Para encerrar as atividades, acontecerá, em agosto, uma Feira de Projetos Escolas nas Cavernas, para que cada escola apresente a ação desenvolvida, ao longo da programação, os seus resultados, produtos e novas possibilidades de ação.
A ideia de criar o projeto surgiu após a realização de um outro evento menor nas mesmas escolas em 2016. A equipe gestora realizou um concurso cultural em que os alunos deveriam desenhar ou realizar textos sobre as unidades de conservação, APA e do Parna Cavernas do Peruaçu. Com isso, percebeu-se que poucos estudantes conheciam, de fato, a importância e os objetivos das unidades. O projeto contou com apoio do PNUD, após um processo de seleção do edital que foi lançado em 2017 pela DGPEA, o Instituto Ekos pelo Acordo de Cooperação Técnica assinado entre o mesmo e a gestão do Parque Nacional Cavernas do Peruaçu.Comunicação ICMBio(61) 2028-9280

Por: www.icmbio.gov.br