Encontro reúne em Belém autoridades internacionais para agenda comum no controle e monitoramento do desmatamento relacionado à sojicultura

Delegação de 53 líderes dos setores público e privado do Brasil, Argentina, Paraguai, Bolívia e China participam de seminário sobre comércio responsável de soja e visita técnica às regiões de Paragominas e Ulianópolis

Belém, novembro de 2018 – Membros da indústria de soja, autoridades governamentais e representantes da sociedade civil do Brasil, Argentina, Bolívia, Paraguai e China participam do “Seminário Interregional sobre Cooperação em Soja Sustentável”, que acontece de 13 a 15 de novembro, em Belém (PA). A organização é da Solidaridad.

 

Dividido em três momentos, o encontro tem como principal objetivo a apresentação de políticas e ferramentas que cada país tem desenvolvido para controlar e monitorar as mudanças no uso do solo e a identificação de oportunidades e construção de uma agenda de cooperação ou financiamento conjunto entre países da América do Sul e China.

 

Nos dias 13 e 14, acontecem os painéis e workshops. Entre os destaques estão as palestras sobre o sistema de monitoramento do desmatamento empregado na província de Santa Cruz, Bolívia, que concentra 95% da produção de soja do país; sobre o sistema de monitoramento empregado em Salta, no norte da Argentina; e as tecnologias de monitoramento na cadeia de suprimentos na China.

 

>> Confira programação completa, aqui.

>> Veja as autoridades confirmadas para o encontro, aqui.

 

As lideranças participarão ainda, no dia 13, às 9h, de encontro no Palácio dos Despachos com o governador Simão Jatene e com o secretário de Meio Ambiente e Sustentabilidade do Estado Thales Belo, sobre as ações estratégicas e os desafios da Gestão Ambiental do Pará.

 

Para completar, os participantes farão, no dia 15, visita de campo ao projeto “Municípios Verdes”, desenvolvido pelo Governo do Estado do Pará na região de Paragominas e Ulianópolis (PA). A proposta é que conheçam as estratégias e ferramentas de monitoramento ambiental do projeto e sua relação com o Fundo Amazônia do BNDES.

 

Após a imersão, a Solidaridad produzirá uma publicação digital com as principais propostas e diretrizes definidas no encontro e que irão constituir uma agenda de cooperação entre os países participantes.

COMPARTILHAR