Energia solar como solução econômica e sustentável para o brasileiro

Os sistemas de captação solar são capazes de gerar energia elétrica através das chamadas células fotovoltaicas. Em Países como Estados Unidos, França, Suiça e China, por exemplo, essa tecnologia já é bastante difundida, proporcionando inúmeros benefícios nos ambitos de clima e biodiversidade a sociedade. Vista como uma das principais soluções para diminuir os danos ao meio ambiente, capaz de revitalizar de forma sustentável com a mesma capacidade de armazenamento das energia retida em termoelétricas, é feita de maneiras simples movida por um material chamado silício ou semicondutor. Quando a luz solar incide sobre uma célula fotovoltaica, os elétrons do material semicondutor são postos em movimento, desta forma gerando eletricidade.

No Brasil, o que preocupa é a cultura empregada pela sociedade e política, voltadas pelo consumo desenfreado, sem preocupações qualitativas sustentáveis a longo prazo.

Em contra partida, o País apresenta um enorme potencial para o desenvolvimento da energia solar e reduzir os danos causados pelo consumo excessivo e problemas crônicos como aumento gradual da temperatura. Uma Pesquisa divulgada recentemente pela European Photovoltaic Industry Association – EPIA  indica uma demanda doméstica de no máximo 7MWp no País, enquanto em Países como a Alemanha, por exemplo, nos locais com melhor índice de irradiação (o que equivale a locais de menor incidência solar no Brasil), a demanda é de 25 mil MWp.

Dados recentes da Empresa de Pesquisa Energética (EPE), orgão regulamentado  pelo governo federal mostram que, se todo o potencial teórico de geração de eletricidade nas residências brasileiras fosse aproveitado com sistemas fotovoltaicos, produziríamos o suficiente para abastecer mais de duas vezes o atual consumo residencial. Esse aproveitamento também abriria a possibilidade de geração de, aproximadamente, seis milhões de novos postos de trabalho diretos e indiretos. E significaria uma economia de cerca de R$95 bilhões por ano para a população.

COMPARTILHAR