Ex-diretor da Celpe lança livro sobre setor elétrico brasileiro

José Antonio Feijó de Melo – ex-diretor da Companhia Energética de Pernambuco (Celpe), professor no Conselho Regional de Engenharia e Agranomia de Pernambuco (Crea-PE) e diretor do Instituto de Desenvolvimento Estratégico do Setor Energético (Ilumina) – lança no dia 8 de dezembro, no Rio de Janeiro, seu livro O Setor Elétrico Brasileiro – De Serviço Público a Mercadoria – Vinte anos de erros (1995 – 2005).

Na obra, o engenheiro incita um debate em busca de soluções definitivas para os graves problemas que, há vinte anos, afetam este importante e estratégico âmbito econômico nacional. Os textos analisam as constantes incertezas do setor, passando pelas dificuldades e as medidas desesperadas que resultam em riscos, como racionamentos, tarifas elevadas, incompatibilidades de sistema e a duvidável qualidade dos serviços prestados.

Escrito em linguagem acessível, atual e objetiva, o livro reúne os principais textos produzidos pelo autor ao longo de mais de uma década de luta em defesa do interesse público relacionado ao setor de energia elétrica brasileiro.

O livro contém mais de 80 textos que abordam e questionam os diferentes aspectos do setor elétrico nacional, apresentados em quatro partes e dez capítulos, são eles: Aspectos Institucionais; A Questão Tarifária; A Questão Eletro-energética e Outros Assuntos.

Serviço:

Livro: O Setor Elétrico Brasileiro – De Serviço Público a Mercadoria – Vinte anos de erros (1995 – 2005)

Autor: José Antonio Feijó de Melo

Editora: Babecco

Locais dos lançamentos:

– Dia 01/12/2016 – Livraria Cultura – Shopping Rio Mar, Recife – às 19h;

– Dia 08/12/2016 – Livraria Cultura – Cine Vitória, Rio de Janeiro – às 18h.

Sobre a Eletronuclear

Subsidiária da Eletrobras, a Eletronuclear é a responsável por operar e construir as usinas termonucleares do país. Conta com duas unidades em operação na Central Nuclear Almirante Álvaro Alberto (CNAAA), com potência total de 1990 MW. Hoje, a geração nuclear corresponde a 3% da eletricidade produzida no país e o equivalente a um terço do consumo do Estado do Rio de Janeiro

 

 

COMPARTILHAR