Ibram e Google se unem para disponibilizar mais de mil obras online

Uma foto da família imperial na varanda da casa da princesa Isabel, em Petrópolis, feita por Otto Hess. As joias, as pinturas, a carta de D. Pedro I a seu pai, anunciando a independência do Brasil. A partir de hoje, as coleções de cinco museus gerenciados pelo Instituto Brasileiro de Museus (Ibram) estão disponíveis no Google Arts & Culture.

Ao todo, são mais de 1,3 mil obras de arte e 18 exposições virtuais entre o acervo digitalizado do Museu Lasar SegallMuseu Histórico NacionalMuseus Castro MayaMuseu Nacional de Belas Artes e Museu Imperial. O Ibram é responsável por 30 museus espalhados pelo Brasil, e este projeto é o primeiro passo para disponibilizar digitalmente, para as pessoas do mundo todo, algumas das maiores riquezas culturais do Brasil.

Esta colaboração entre o Ibram e o Google significa unir tecnologia de ponta à história e à arte, e dar apoio aos museus em seus propósitos de levar cultura a ainda mais pessoas. Nesta primeira fase, mais de 450 obras foram capturadas com a Art Camera do Google, uma câmera capaz de digitalizar com uma super-resolução e revelar detalhes que poderiam passar despercebidos a olho a nu.

Pessoas de diferentes países agora podem visitar o quadro mais icônico de Lasar Segall, o “Navio de Emigrantes”, o “Nu deitado”, de Di Cavalcanti, “Recado Difícil”, de José Ferraz de Almeida Júnior ou o “Panorama do Rio de Janeiro”, entre tantos outros que estão disponíveis pela primeira vez por meio de celulares, tablets ou dos computadores de casa.

Le cirque [da série] Jazz, de Henri Matisse (1947)

O Google Arts & Culture, juntamente com os parceiros, coloca os maiores tesouros do mundo disponíveis para todos. Museus, instituições, arte e cultura a um clique de distância para quem quiser viajar pelos quatro cantos do mundo do sofá de casa.

*Via Assessoria

***

Você sabia que o Mega Curioso também está no Instagram? Clique aqui para nos seguir e ficar por dentro de curiosidades exclusivas!


Novidades do Mega Curioso