Instituições de ensino e pesquisa de Macapá ganham maior conectividade em suas redes

Desde o início de agosto todos os Pontos de Presença (PoPs) da Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) estão totalmente interligados. Macapá/AP foi a última capital do país a ser interligada aos pontos, a partir do trecho iniciado em Belém/PA. Com isso, toda a rede acadêmica brasileira têm acesso a conexões de alta capacidade, a 1 Gb/s ou 10 Gb/s em seu backbone.

Segundo Eduardo Grizendi, diretor de Engenharia e Operações da RNP, com essa recente ativação da conexão entre Belém e Macapá, a rede atinge uma grande meta. ‘‘Estamos interiorizando a rede. Com isso, conseguimos ampliar a capacidade do circuito sem aumentar os custos’’, comenta.  Este trabalho beneficia diretamente as instituições de ensino, pesquisa e saúde do Estado do Amapá, como, por exemplo, as universidades federal (Unifap) e estadual (UEAP), o Instituto de Pesquisas Científicas e Tecnológicas do Estado do Amapá (IEPA), a Empresa Brasileira de Pesquisa Agropecuária (Embrapa – AP), o Instituto de Pesos e Medidas (IPEM-AP) e o Instituto Federa do Amapá (IFAP).

Antes com os dois circuitos que totalizavam uma velocidade de 250 Mb/s, o trecho entre Belém e Macapá passa a contar agora com capacidade de 1 Gb/s, provida pela da Compuservice. Essa ligação entre o PoP-PA ao PoP-AP, conta, ainda, com backup de 200 Mb/s em rádio, pela Ilha de Marajó (PA). “Mesmo com uma conjuntura econômica desafiadora, continuamos trabalhando com o intuito de gigatizar a nossa rede, sem aumento de custos’’, garante Grizendi.

RNP – Qualificada como uma Organização Social (OS), a Rede Nacional de Ensino e Pesquisa (RNP) vinculada ao Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovação e Comunicações (MCTIC) e mantida por esse em conjunto com os ministérios da Educação (MEC), Cultura (MinC), Saúde (MS) e Defesa (MD), que participam do Programa Interministerial da RNP (PI-RNP). Pioneira no acesso à internet no Brasil, a RNP planeja opera e mantém a rede Ipê, a rede óptica nacional acadêmica de alto desempenho. Com Pontos de Presença em 27 unidades da federação, a rede conecta 1.237 campi e unidades nas capitais e no interior. São mais de 4 milhões de usuários, usufruindo de uma infraestrutura de redes avançadas para comunicação, computação e experimentação, que contribui para a integração entre o sistema de Ciência e Tecnologia, Educação Superior, Saúde, Cultura e Defesa. http://www.rnp.br/

COMPARTILHAR