Lotes de linguiça são recolhidos por presença de bactérias perigosas

Melhor ter atenção redobrada na hora de comprar a linguiça para o próximo churrasco. Lotes de dois tipos dessa carne, da marca Ouro do Sul, foram proibidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa), após a constatação de contaminação por duas bactérias que causam, entre outras coisas, infecção alimentar.

Justiça seja feita, a própria Cooperativa de Suinocultores do Caí Superior (RS), responsável pelos produtos, percebeu o problema e notificou o órgão regulador. Ela já está promovendo o recolhimento dos lotes afetados.

O primeiro item da Ouro do Sul comprometido é a linguiça tipo calabresa, 500 gramas. Fique de olho ao lote 214, com data de validade para 29 de novembro de 2018. Nele, foram encontrados traços da bactéria Salmonella spp, por trás de vômitos, diarreia e por aí vai.

Também tome cuidado com a linguiça toscana sabor queijo, 800 gramas. O lote contaminado é o 47, com data de validade para 26 de outubro de 2018 – sim, o prazo já expirou, porém vai que um pacote ainda está esquecido em sua geladeira, por exemplo.

Nesse caso, a bactéria achada foi a Listeria monocytogenes. Além de provocar intoxicação alimentar, esse inimigo da saúde pode desencadear problemas graves em alguns casos, como meningite e aborto espontâneo.

A Anvisa orienta os consumidores que adquiriram essas linguiças a entrarem em contato com a empresa para eventualmente substitui-las. O telefone é (51) 3695-1155 e o e-mail, ourodosul@ourodosul.com.br. Os outros produtos da marca Ouro do Sul seguem liberados.

Por: saude.abril.com.br

COMPARTILHAR