Mesa-redonda discute inovação em dança, em Belém

Evento é nesta terça-feira (7), às 19h, na Espaço Companhia Moderno de Dança, como parte da programação do 7º Festival Música na Estrada

Hulda Bittencourt, de 82 anos, fundadora da Cisne Negro Cia de Dança

Como fazer a dança acontecer? O que é necessário para que uma companhia se mantenha viva? Essas e outras dúvidas serão norteadoras da mesa redonda “Inovar para não dançar”, que ocorre nesta terça-feira (7), às 19h, com Dany Bittencourt e Hulda Bittencourt, da Cisne Negro Cia de Dança (SP); a bailarina e coreógrafa Ana Flavia Mendes (UFPA e Cia Moderno de Dança); e a também bailarina, coreógrafa e pesquisadora Mayrla Andrade (UFPA e Ribalta Cia de Dança), no  Espaço Companhia Moderno de Dança, em Belém. A entrada é gratuita. O evento integra a programação do 7º Festival Música na Estrada, uma realização do Governo Federal por meio do Ministério da Cultura através da Lei Rouanet e da Kommitment Produções Artísticas, o festival é apresentado pela Caixa Seguradora com o patrocínio máster do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) e patrocínio da Instituição de Ensino Superior Estácio. O evento tem apoio da Secretaria de Estado de Cultura (Secult), Governo do Pará e do Theatro da Paz, por meio de seus corpos artísticos.

As diretoras da Cisne Negro pretendem conversar com o público sobre os 40 anos da companhia e os desafios de manter o grupo ativo com apoio da iniciativa privada, com patrocínios diretos ou via leis de incentivo. A companhia aposta na segurança da firme trajetória, reconhecida nacional e internacionalmente, mas com o cuidado de atentar para as mudanças. Entre seus traços marcantes está a diversidade e a inovação nestas quatro décadas, acumulando alguns dados marcantes: já foi assistida por um público superior a 2,5 milhões de pessoas em aproximadamente 17 países passando por mais de 400 cidades num total de cerca de 4 mil apresentações com uma média de 100 apresentações por ano.plie-carmem-61

Considerada uma das melhores companhias contemporâneas do país, a Cisne Negro Cia. de Dança acredita que a cultura é uma ferramenta de transformação social, alimento de esperança e sonhos de muitas pessoas, portanto, dentro do seu repertório a Cisne Negro possui obras sócio-educativas, como: “Vem Dançar” – a história da dança através dos tempos, , “Don Quixote e Sancho Pança, Viajando pela Dança”, uma viagem pelas danças tradicionais brasileiras, sob uma ótica contemporânea e “Baobá” obra baseada na história de O Pequeno Príncipe, uma discussão entre o Pequeno Príncipe e um Príncipe afro- brasileiro sobre a sustentabilidade do planeta.

Os trabalhos da companhia se inserem dentro do panorama contemporâneo da dança ocidental, e consequentemente, desde o início, trabalha com coreógrafos inovadores e jovens. “A companhia tem que sempre estar se reinventando e inovando, buscando novos parceiros, tendo novas ideias e sempre podendo apresentar-se para um público grande. Não medidos esforços, atentos às novas dinâmicas e propostas. Nossos parceiros são diferentes a cada projeto, costumo dizer que não colocamos todos os ovos numa cesta só, nem um patrocinador só. Apresentamos projetos certos para o patrocinador que tem aquele perfil”, diz Dany Bittencourt.

Os trabalhos da Cisne Negro já foram apresentados nas principais cidades do Brasil e, na África do Sul, Alemanha, Argentina, Canadá, Chile, China, Colômbia, Cuba, Escócia, Espanha, Estados Unidos, Inglaterra, Moçambique, Paraguai, Tailândia, Uruguai, China e Romênia, o grupo exibiu-se como um modelo de trabalho dentro da dança brasileira, um trabalho construído com profissionalismo e paixão. Com uma visão eclética, participa de eventos diversificados: em 2016 fez parte da turnê internacional do tenor italiano Andréa Bocelli, nas cidades de São Paulo e Curitiba, com coreografia de Dany Bittencourt e participação de bailarinos da Cisne Negro.

Plié

Espetáculo Plié, da Cia Moderno de Dança

Após o evento, será apresentado um trecho do espetáculo Plié, da Cia Moderno de Dança, título do mais novo trabalho do grupo, inspirado no termo plié, que é um passo de dança cuja tradução literal é “dobrado”. O espetáculo traz versões resumidas e “dobradas” de quatro entre os mais dançados ballets clássicos de repertório, concebidas e encenadas a partir dos preceitos da dança imanente, práxis que norteia a pesquisa teórica e prática do grupo.

“Dança imanente é um modo de fazer/pensar dança que se vale da noção de imanência, considerando que qualquer movimento pode vir a ser dança e que, portanto, qualquer corpo pode dançar. Toma como matéria-prima os próprios corpos dançantes, agenciados numa proposta de criação coletiva em que o coreógrafo instiga os dançarinos a descobrirem sua dança e, em seguida, edita o material pesquisado para transformá-lo em obra de arte. Partindo dessa concepção de dança a companhia passou a enxergar o ballet clássico por um prisma menos contemplativo e mais questionador”, explica Ana Flavia Mendes.plie-lago-dos-cisnes-39

Serviço

Mesa Redonda “Inovar para não dançar”

Participações Dany Bittencourt e Hulda Bittencourt (Cisne Negro Cia de Dança), Ana Flavia Mendes (UFPA e Cia Moderno de Dança) e Mayrla Andrade (UFPA e Ribalta Cia de Dança)

Apresentação de trecho do espetáculo Plié da Cia Moderno de Dança

Local: Espaço Companhia Moderno de Dança

Endereço: Av. Conselheiro Furtado, 1648  Cremação, Belém – PA

Horário: 19h

PROGRAMAÇÃO EM BELÉM

Todas as atividades são gratuitas 

NOVEMBRO

Data: 07/11/2017
Masterclasse de Regência com Maestro Fuad Ibrahimov, Azerbaijão
Local: Escola de Música da UFPA
Endereço: Av. Conselheiro Furtado, 2007 – Cremação, Belém – PA
Horário: 19 às 21h

Data: 07/11/2017
Mesa Redonda “Inovar para não dançar”
Participações Dany Bittencourt e Hulda Bittencourt (Cisne Negro Cia de Dança), Ana Flavia Mendes (UFPA e Cia
Moderno de Dança) e Mayrla Andrade (UFPA e Ribalta Cia de Dança)
Apresentação de trecho do espetáculo Plié da Cia Moderno de Dança
Local: Espaço Companhia Moderno de Dança
Endereço: Av. Conselheiro Furtado, 1648  Cremação, Belém – PA
Horário: 19h

Data: 07/11/2017
Show Jane Duboc & Amazônia Jazz Band – Lançamento do DVD Pará Instrumental Vol. 12
Regente: Nelson Neves
Local: Theatro da Paz
Endereço: Rua da Paz, s/n – Centro, Belém  PA
Horário: 20h

Data: 08/11/2017
Oficina de Dança com Andre Santana (Cisne Negro Cia de Dança)
Local: Espaço Companhia Moderno de Dança
Endereço: Av. Conselheiro Furtado, 1648 – Cremação, Belém – PA
Horário: 16h30 às 18h30 e 19h30 às 21h30

Data: 09/11/2017
Oficina de Bateria e Guitarra com professores do “Spok Quinteto”
Prof. Renato Bandeira (Guitarra) e Prof. Adelson Silva (Bateria)
Local: Academia de Música e Tecnologia
Endereço: Tv.  Rui Barbosa, 607 – Reduto, Belém –  PA
Horário: 17h às 21h

Data: 09/11/2017
Cisne Negro Cia de Dança e Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz
Regente: Maestro Fuad Ibrahimov, Azerbaijão
Local: Theatro da Paz
Endereço: Rua da Paz, s/n – Centro, Belém – PA
Horário: 20h
Programa:
REVOADA (2007), 23:04”
Coreografia e Figurinos: Gigi Caciuleanu, França
Assistente de Coreografia: Dany Bittencourt
Música: Igor Stravinsky (1882-1971)
Projeto de Luz: Raquel Balekian
Concepção de Cenografia: Gigi Caciuleanu e Raquel Balekian
Execução de cenografia: Camarim Artigos para Dança
e
ENIGMAS (2017), 32”
Música: Edward Elgar “Variações de Enigma”
Coreografia: Dany Bittencourt
Assistente de Coreografia: Patrícia Alquezar
Desenho de Luz: Cristiano Paes
Figurinos: Fábio Namatame

Data: 10/11/2017
Oficina de Bateria e Guitarra com professores do “Spok Quinteto”
Prof. Renato Bandeira (Guitarra) e Prof. Adelson Silva (Bateria)
Local: Academia de Música e Tecnologia
Endereço: Tv.  Rui Barbosa, 607 – Reduto, Belém –  PA
Horário: 17h às 21h

Data: 11/11/2017
Show Spok Quinteto em “Sotaque Pernambucano”
Local: Teatro Schivasappa
Endereço: Av. Gentil Bitencourt, 650 – Nazaré, Belém – PA
Horário: 20h

Data: 12/11/2017
Concerto com Orquestra de Câmara do Amazonas
Regente: Marcelo de Jesus
Local: Igreja Santo Alexandre
Endereço: Praça Frei Caetano Brandão – Cidade Velha, Belém – PA
Horário: 17h
Programa:
Wolfgang Amadeus Mozart (1756-1791) Réquiem KV 626, Arranjo de Peter Lichtenthal
Antonio Vivaldi (1678-1741) As Quatro Estações, Recomposição de Max Richter

DEZEMBRO

Data: 20/12/2017
Concerto “A Ressurreição” com Orquestra Sinfônica do Theatro da Paz
Solistas: Ana Lúcia Benedetti e Kézia Andrade
Sinfonia Nr. 2 em Dó menor, de Gustav Mahler (1860-1911)
Coro Lírico do Festival de Opera do Theatro da Paz
Preparador vocal/ensaiador: Vanildo Monteiro
Regente: Miguel Campos Neto
Local: Theatro da Paz
Endereço: Rua da Paz, s/n – Centro, Belém  PA
Horário: 20h

COMPARTILHAR