Natura é a 15ª empresa mais sustentável do mundo

A Natura é a 15ª empresa mais sustentável do mundo e única brasileira do setor a figurar no levantamento, de acordo com o ranking Global 100, elaborado pela companhia canadense de mídia e pesquisa Corporate Knights. Essa é a décima vez consecutiva que a empresa aparece na lista. O levantamento foi apresentado nesta terça-feira, 22 de janeiro, durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos, na Suíça.

As empresas presentes na 15ª edição do ranking Global 100 conquistaram os melhores desempenhos entre 7,5 mil companhias analisadas em 21 países de diferentes setores da indústria, por meio de uma avaliação rigorosa envolvendo indicadores relacionados à energia, emissões de carbono, consumo de água, resíduos sólidos, capacidade de inovação, salários, segurança do trabalho, percentual de mulheres na gestão, entre outros.

Apenas quatro empresas brasileiras estão nesta lista: Natura, Banco do Brasil, CEMIG e ENGIE Brasil Energia. “Para a Natura, esse é um reconhecimento extremamente relevante, por mostrar que é possível conciliar um novo jeito de fazer negócios, com respeito ao meio ambiente e geração de riqueza para todos, com a criação de valor para os nossos acionistas. Em um ano de tantas transformações importantes para a empresa, figurar pela décima vez no ranking nos motiva a continuar perseguindo nosso desafio permanente, que é construir um mundo mais bonito de gerar impacto positivo”, afirma João Paulo Ferreira, presidente da Natura.

No ano passado, a Natura foi a primeira empresa brasileira a conquistar o selo “The Leaping Bunny”, que atesta o compromisso da empresa com a não realização de teste em animais de seus produtos ou ingredientes. Também aderiu ao movimento Segunda Sem Carne, presente em mais de 40 países e promovido no Brasil pela Sociedade Vegetariana Brasileira (SVB), tornando-se a primeira empresa de grande porte do país a aderir à iniciativa.

Ainda em 2018, a Natura superou em mais de 40% a meta de volume de negócios na região amazônica, de R$ 1 bilhão até 2020, com o fortalecimento das parcerias para conservação do meio ambiente e das cadeias da biodiversidade, como parte dos objetivos do Programa Amazônia.

O uso sustentável de ativos da biodiversidade amazônica é um dos principais vetores de inovação da companhia, que tem mais de 80% de suas fórmulas de origem vegetal e, portanto, renovável. Seus produtos também se diferenciam pelo uso de álcool orgânico em todas as linhas de perfumaria e pelas embalagens ecoeficientes, com materiais reciclados pós-consumo, como PET e vidro, além do uso de refis há mais de 35 anos.

“As 100 empresas que compõem o ranking Global 100 mostram que fazer o que é bom para o mundo também pode ser bom para o desempenho financeiro”, afirma Toby Heaps, CEO da Corporate Knights, em comunicado.

A Natura foi também a primeira empresa de capital aberto a obter o selo B Corp, movimento global de companhias que integram o resultado financeiro à geração de resultado socioambiental, reafirmando seu protagonismo na agenda de desenvolvimento sustentável global.