Primeira Incubadora de Startups Colaborativa do Brasil é lançada em Belém

A incubadora GoodWay disponibiliza espaço para desenvolvimento do negócio e consultoria gratuita na Faculdade Maurício de Nassau

O termo “startup” surgiu nos Estados Unidos e consiste em um modelo de negócios em que pessoas trabalham com a ideia de iniciar uma empresa e colocá-la em funcionamento.  Já as incubadoras são instituições que propõem soluções para diversos problemas. Agora imagine juntar esses dois conceitos e criar um projeto universitário inovador e de custo zero para quem quer abrir o seu próprio negócio. O desejo de montar um espaço ideal para quem quer iniciar um empreendimento motivou estudantes e professores dos cursos de Sistemas de Informação e Redes de Computadores da Faculdade Maurício de Nassau em Belém a criar a Incubadora de Startups Colaborativa GoodWay, pioneira no Brasil.

A GoodWay trabalha recebendo projetos voltados para a área de sistemas de informação e empreendedorismo, ambientação profissional dos alunos, além de palestras, minicursos e convivência extraclasse dos estudantes. Dentre os objetivos do projeto está possibilitar o esclarecimento sobre novas tecnologias, apresentar os alunos ao mercado de trabalho, além de desenvolver trabalhos baseados em novas tecnologias visando ações empreendedoras e de empregabilidade.

“Todo o auxílio teórico e prático em relação ao campo de tecnologias e sistemas são acompanhados pela coordenação do curso. Também são desenvolvidos eventos que promovem a troca de ideias entre outros cursos, tornando a GoodWay um ambiente multidisciplinar oferecendo conceitos importantes para quem quer começar a trilhar o seu próprio negócio”, complementa o professor Miercio Neto, um dos coordenadores do projeto.

Apesar de ter apenas seis meses de existência, a GoodWay já tem grandes patrocinadores apoiando a ideia e oferecendo serviços e produtos aos projetos inscritos na incubadora, são elas a Green Network (Rede Verde), Clique Exames, Inscrição Livre e Manager ECC. As etapas para seleção dos projetos estão descritas no site http://www.goodway.tech/

É necessária a análise dos professores Miércio Neto, coordenador dos cursos de Sistemas de Informação  e Redes de Computadores e Alexander Tschertasch, supervisor do projeto GoodWay.  A incubadora também oferece vagas para monitoria disponibilizada por meio de edital de seleção. 

Ainda de acordo o professor, os objetivos são desenvolver senso crítico na análise de soluções de problemas eminentes, buscar conhecimento de novas tecnologias informatizadas e desenvolver senso empreendedor. “Além disso, a incubadora se dispõe a desenvolver projetos e criação de aplicativos, softwares de gerência e promoção de eventos voltados para a área de Tecnologia da Informação”, ressaltou o coordenador do curso de Sistema de Informação e Redes de Computadores da Faculdade Maurício de Nassau.

O espaço está disponível de segunda à sexta, de 14h às 17h30, na unidade Governador José Malcher, da Faculdade Maurício de Nassau Belém. 

 

COMPARTILHAR