Quinta edição da Corrida Ruy Lins reúne comunidade amazonense para comemorar 50 anos da SUFRAMA

A SUFRAMA teve mais uma etapa da comemoração do seu jubileu de ouro junto à sociedade amazonense, no sábado (18), com a realização da quinta edição da Corrida Pedestre Ruy Lins. O evento levou quase duas mil pessoas às avenidas Ministro Mário Andreazza e Ministro João Gonçalves Dias, no Distrito Industrial de Manaus, para participarem desta grande festa que, além de promover o bem-estar social e integrar a autarquia à comunidade, também teve aspecto solidário, uma vez que os atletas inscritos contribuíram com doações de leite em pó integral que posteriormente serão entregues a instituições filantrópicas de Manaus.

Na edição de 2017 da Corrida Pedestre Ruy Lins não houve contagem de resultados individuais. Tendo em vista o caráter comemorativo do evento, a ideia dos organizadores foi de não ter espaço para sentimentos de insucesso em uma ocasião de celebração de êxito. Por conta disso, oficialmente, todos os participantes que cruzaram a linha de chegada foram considerados vencedores da competição.Corrida Ruy Lins 2017 (3)

A superintendente da SUFRAMA, Rebecca Garcia, agradeceu todos os patrocinadores, órgãos públicos e servidores pela realização do evento, ressaltando que a corrida torna a instituição mais próxima da comunidade. “Era muito importante que a Ruy Lins fosse retomada após dois anos sem ser realizada. Além da promoção da saúde e do bem-estar, o evento também faz parte da comemoração dos 50 anos da SUFRAMA e do modelo Zona Franca de Manaus com a sociedade. Iremos trabalhar muito para que a Corrida possa voltar a ser realizada novamente a cada ano, pois é um evento de grande importância para a nossa instituição e também para a população”, disse Rebecca.

O nome da corrida é uma homenagem ao ex-superintendente da SUFRAMA, Ruy Alberto Costa Lins (1934-2010), importante dirigente da história da autarquia. Na solenidade de abertura do evento, a viúva do ex-superintendente, Regina Lins, recebeu um relógio personalizado com o símbolo da corrida das mãos do superintendente adjunto de Planejamento e Desenvolvimento Regional, Marcelo Pereira.Corrida Ruy Lins 2017 (5)

Corrida

Os mil e duzentos atletas inscritos oficialmente se distribuíram em percursos de três e seis quilômetros. Também participaram da prova diversos corredores na “turma da pipoca”, formada pelas pessoas que não conseguiram se inscrever.

Para os participantes, a Ruy Lins alcançou seu principal objetivo que é incentivar a prática de exercícios físicos, estimular a busca por uma melhor qualidade de vida e promover a integração da SUFRAMA com a sociedade em geral.

É o que afirma o pintor industrial André Antônio Costa Pinto, 32, o primeiro a cruzar a linha de chegada no percurso de três quilômetros. Segundo o competidor, a corrida promovida pela autarquia provocou alterações em sua vida pessoal. “Na edição anterior, em 2014, foi a primeira vez que eu participei de uma corrida. Isso mudou minha vida. Gostei tanto que agora estou cursando Educação Física”, afirmou o atleta, que é funcionário da NCR Corporation, empresa que fabrica caixas eletrônicos (ATMs) no Polo Industrial de Manaus (PIM.)

Já o primeiro atleta a completar a prova de 6 km na categoria masculina, o rondoniense Juarez Rosa Silva, 29, ressaltou que a comunidade esportiva estava sentindo falta da competição. “Hoje, em Manaus, há empresas que cobram R$ 80 mil para realizar corridas. E o alto nível de organização da Ruy Lins é uma demonstração que é possível promover uma prova sem se gastar tanto. Nós atletas estávamos com saudades dessa competição. Entendemos que ela retornou em caráter comemorativo e esperamos que já na próxima edição possa voltar com o caráter esportivo, premiando o esforço dos atletas”, frisou.  Vencedor da quarta edição, na modalidade dos 6 km, Juarez Silva também relatou que tem um carinho especial pelo evento esportivo. “Quando ganhei a Ruy Lins, decidi me mudar para Manaus para tentar viver do esporte. Por isso, também torço para que essa competição retorne e não pare mais de acontecer”, salientou.Corrida Ruy Lins 2017 (3)

A assistente social Magda dos Santos, 29, foi a primeira a concluir a prova dos 3 km feminino e se disse contente ao apontar diferenças em relação à primeira vez que disputou a prova organizada pela SUFRAMA. “Comecei a correr no fim de 2013 e, em 2014, quando corri na Ruy Lins, ainda estava fora de forma e com alguns quilos a mais. Fico contente de ir bem com o retorno da prova”, observou.

Superação

Sempre saudados pelo público como exemplo de estímulo à prática esportiva e de superação de vida, os atletas com deficiência também participaram do evento. Francisco Oliveira Gama, 45, contou que se tornou cadeirante há dez anos quando trabalhava como motoboy e foi vítima de um acidente de trânsito ao fazer uma entrega. Gama ressalta que participar de eventos esportivos como a Ruy Lins tem efeitos terapêuticos. “Vivia triste, depressivo, quando me convidaram, há dois anos, para treinar e competir. Mudou a minha vida sentimental e ganhei mais autoconfiança”, relatou.

A importância de eventos esportivos também foi destacada pelo paratleta Francisco de Barros Pimenta, 44, o primeiro cadeirante a completar a prova de 6 km. O acidente que afetou a sua vida aconteceu em 1991, durante um acidente de trânsito. Quatro anos depois, ele ganhou uma motivação especial quando começou a praticar esportes como basquete e natação. As corridas, entretanto, são a sua modalidade favorita. “Por vários anos, era o único cadeirante. Hoje, já sou acompanhado por outros. Acho que o fato de eu correr acabou influenciando outros cadeirantes a fazer o mesmo”, observou. Corrida Ruy Lins 2017 (5)

Parceiros

A quinta edição da Corrida Pedestre Ruy Lins foi uma realização da SUFRAMA e da Associação dos Servidores da SUFRAMA (Asframa), em parceria com a Secretaria de Estado da Juventude, Desporto e Lazer (Sejel) e Secretaria Municipal de Juventude, Esporte e Lazer (Semjel). A corrida também contou com o apoio da Polícia Militar do Estado do Amazonas, Instituto Municipal de Engenharia e Fiscalização de Trânsito (Manaustrans), Superintendência Municipal de Transportes Urbanos (SMTU), Secretaria Municipal de Infraestrutura (Seminf), Serviço de Atendimento Móvel de urgência (Samu), Secretaria Municipal de Limpeza Pública (Semulsp), Secretaria Municipal da Mulher, Assistência Social e Direitos Humanos (Semasdh) e Sindicato dos Servidores da SUFRAMA (Sindframa).

Diversas empresas do Polo Industrial de Manaus e de outros segmentos da capital também prestaram apoio e foram fundamentais para a realização da quinta edição da corrida, tais como Positivo Informática, BMW Motorrad, Yamaha Motor da Amazônia, Manaós Polpas, Houston Adax – Bike Norte, Moto Honda da Amazônia, Kawasaki Motores do Brasil, Panasonic do Brasil, Caloi Norte S/A, Technos, Rush Training, Procter & Gamble, Vegas Team e Rede Amazônica.

 

COMPARTILHAR