Vale aprova US$ 1,1 bilhão para expandir mina de cobre Salobo no Pará

 mineradora Vale informou nesta quarta-feira (24) que aprovou investimentos de US$ 1,1 bilhãopara a expansão da mina de cobre Salobo, de acordo com informação que consta do relatório de resultados do terceiro trimestre.

“Com base em nossa rigorosa estratégia de alocação de capital, acabamos de aprovar o investimento… de alto retorno”, disse a empresa, que busca diversificar suas atividades diante de expectativas para uma crescente demanda pelo metal.

A mina Salobo, no Estado do Pará, começou suas operações em 2012 e produz cerca de 200 mil toneladas anualmente.

O projeto ocorre diante das expectativas de crescimento da demanda por cobre para a fabricação de baterias para carros elétricos.

Maior produtora global de minério de ferro e níquel, a Vale informou anteriormente ter intenção de elevar a participação dos metais básicos em seus resultados, especialmente o níquel e cobre.

A Vale ressaltou que receberá da Wheaton Precious Metals um bônus variando de aproximadamente US$ 600 a US$ 700 milhões, depois de atingir determinadas metas de produção – anteriormente, a empresa assinou acordo para vender fluxos de ouro contido no concentrado de cobre produzido em Salobo.

A empresa afirmou ainda que aprovou investimento de manutenção de US$ 428 milhõesno projeto Gelado, que recuperará aproximadamente 10 milhões de toneladas por ano de “pellet feed” com 64,3% de teor de ferro, 2% de sílica e 1,65% de alumina proveniente de barragens de rejeito no Complexo de Carajás, reduzindo custos e despesas operacionais.

O projeto do Gelado, segundo a empresa, “mostra a flexibilidade da nossa base de recursos, onde até mesmo os resíduos antigos são superiores em qualidade aos padrões da indústria”.

Salobo III e Gelado iniciam suas operações no primeiro semestre de 2022 e segundo semestre de 2021, respectivamente.

COMPARTILHAR