CASP triplicou capacidade de processamento lácteo

Por: paracooperativo.coop.br

 

 

Após vencer chamada pública da Prefeitura de Castanhal, a Cooperativa Agropecuária do Salgado Paraense (CASP) ampliou o beneficiamento lácteo para produção de 30 mil garrafinhas de iogurte a serem entregues à merenda escolar do município. Atualmente, a cooperativa está processando 1mil litros de leite por dia. A ampliação do parque fabril ocorreu após parceria com a Embrapa no fornecimento de equipamentos e capacitações promovidas pelo Sistema OCB/PA, o que gerou a necessidade de contratação de mais 4 colaboradores no último mês.

 

A demanda total da chamada pública para a merenda escolar é de 30 toneladas. Recentemente, a Prefeitura solicitou 6 toneladas em embalagens de 200g do sabor morango. “A entrega deve ser feita em outubro e vamos atender o prazo. A cooperativa inteira está envolvida, trabalhando até de noite para cumprir a solicitação. Agradecemos a Deus e a todos os parceiros por esse importante momento na história de nossa CASP. Estamos produzindo em escala, mesmo sem um parque fabril completo”, explicou o presidente da cooperativa, Antônio Alcoforado.

 

Além do incremento financeiro para os cooperados, a cooperativa também está promovendo o desenvolvimento integrado da região ao adquirir insumos de produtores locais para conseguir atender à demanda. A capacidade produtiva dos sócios é de aproximadamente 500 litros por dia, mesma quantidade que está sendo agregada pelo recebimento de leite dos outros produtores. Até o começo de junho, a CASP processava 300 litros de leite por dia. Após a parceria com a Embrapa, o processamento mais que triplicou para 1mil litros/dia.

 

O convênio de cooperação técnica com a Embrapa contempla fornecimento de máquinas em comodato e cursos de qualificação técnica. Os cooperados receberam um pasteurizador de placa com capacidade de 500 litros/hora, pasteurizador térmico com capacidade de 300 litros/dia e uma máquina de embalar. Antes da efetivação da parceria, a agroindústria pasteurizava 200 litros em 4 horas. Com os equipamentos, são processados 500 litros em, no máximo, 2 horas.

 

 

 

 

O convênio também contempla a transferência de tecnologia para o produtor na base com cursos como formação de capim, sanidade animal, boas práticas de produção e controle dentro da fazenda. O objetivo é aprimorar a produção, triplicando a capacidade de pastejo em uma mesma área a partir do tipo e periodicidade de adubação, rotatividade dos animais, entre outros.

 

“Fizemos ofício, visitas e negociações para solicitar a parceria e a instituição comprovou que tínhamos um trabalho desempenhado com seriedade. O convênio veio exatamente quando mais precisávamos. A equipe está nos acompanhando na parte de desenvolvimento de produtos, alinhando o que já vem sendo feito há 2 anos. Temos todo um planejamento de capacitações que será desenvolvido tanto pela Embrapa quanto pelo Sistema OCB/PA”, completa Alcoforado.

 

O próximo passo para a CASP é a busca de projeto no Banco da Amazônia (Basa) para financiamento de suas atividades. A proposta é adquirir novos equipamentos para completar a agroindústria, tais como embalador para copo, carro para coleta de matéria prima e entrega de produto acabado, máquinas para tratamento e reuso de água e utensílios para a fabricação de queijo.

 

“Acompanho a cooperativa desde o início e posso testemunhar do esforço que os cooperados vêm empreendendo ao longo desses anos para alavancar o negócio. É inevitável que a recompensa venha. Precisamos apenas estar preparados para o crescimento, acompanhando o ritmo do mercado e nos adaptando às exigências a partir da qualificação profissional e do aprimoramento técnico”, afirmou o presidente do Sistema OCB/PA, Ernandes Raiol.

Por: engenhariae.com.br

COMPARTILHAR