Elon Musk anuncia satélites Starlink para 19 mil escolas na Amazônia

O bilionário Elon Musk anunciou nesta sexta-feira (20) que os satélites Starlink levarão internet para 19 mil escolas em áreas rurais na Amazônia. Além disso, os equipamentos espaciais devem realizar monitoramento na região amazônica.

dono da Tesla e SpaceX desembarcou no Brasil na manhã de hoje para se encontrar com o ministro da Economia, Fábio Faria, em uma reunião que tratará justamente sobre conectividade. Além disso, Musk também deve se encontrar com o presidente Jair Bolsonaro (PL).

O homem mais rico do mundo chegou a dizer em suas redes sociais que estava “super animado por estar no Brasil”.

Conectando escolas

Faria publicou, pela manhã, fotos com Musk. Na quinta-feira (19), o ministro já havia dito também no Twitter que o governo fará uma reunião hoje para debater sobre os “marcos regulatórios, regulação na Amazônia e conectividade nas escolas”.

De acordo com ele, o objetivo da pasta é “conectar 100% das escolas até o final do ano e fazer com que a tecnologia ajude na preservação da Amazônia”.

[ATUALIZAÇÃO – 17H50]: O governo federal oficializou já no final da tarde o acordo para que os satélites Starlink levem internet para 100% das escolas da região norte do país até o final de 2022.

O encontro entre representantes do governo, incluindo o presidente Bolsonaro, e o empresário Elon Musk foi realizado no município de Porto Feliz, em São Paulo. Apesar da intenção entre as partes, não houve a assinatura de nenhum contrato.

O ministro das Comunicações, Fabio Faria, explicou que os satélites para levar acesso à rede devem ser lançados na Amazônia “nos próximos meses” e que haverá novos encontros para definir detalhes formais da ação.

Elon MuskOs detalhes técnicos e investimentos da parceria serão discutidos em outro momento, disse o ministro Fabio Faria (Foto: Zack/MCom)

A Starlink já pode explorar o sistema de satélites não geoestacionários no Brasil porque recebeu, em janeiro deste ano, autorização da Agência Nacional de Telecomunicações (Anatel).