Plataforma on-line da USP identifica espécies florestais com aptidão para o Cerrado

A Escola Superior de Agricultura Luiz de Queiroz (Esalq) da Universidade de São Paulo (USP) lançou o projeto Siflor Cerrado.

O intuito da iniciativa é recomendar ao produtor espécies florestais e clones para o cultivo da floresta em sistemas de monocultivo e integração lavoura-pecuária-floresta.

“O Siflor Cerrado identifica espécies arbóreas segundo a aptidão da propriedade. Isso agiliza o trabalho do produtor, que pode potencializar a produtividade na sua área”, diz Luciana Duque Silva, docente do Departamento de Ciências Florestais da Esalq-USP e coordenadora do projeto, em entrevista para a Divisão de Comunicação da Esalq.

O projeto está disponível como aplicativo gratuito que pode ser acessado por computador ou dispositivos móveis. Traz a recomendação de espécies florestais e clones, além de dados biofísicos que auxiliam no planejamento da implantação do componente florestal. Todas essas informações estão disponíveis por geolocalização, para produtores rurais e profissionais ligados à cadeia de florestas comerciais.

“Além do aplicativo, o Siflor Cerrado disponibiliza duas publicações que podem ser obtidas gratuitamente, que trazem o embasamento teórico, a metodologia e o trabalho de campo. Ainda este ano oferecemos treinamentos on-line de capacitação para interessados no projeto”, complementa Silva.

As recomendações elencadas no aplicativo são baseadas em prospecções de campo. Estão amostradas cerca de 1.800 parcelas em propriedades rurais localizadas no Bioma Cerrado, em que foram avaliadas quantitativamente e qualitativamente 88 espécies florestais e clones, de eucalipto, pinus, cedro australiano, mogno africano e teca.

A plataforma está disponível em www.siflorcerrado.com.br/.

*Com informações da Divisão de Comunicação da Esalq.