Sessão na Câmara presta homenagem ao Dia do Cerrado

Evento contou com a entrega de menção de louvor a representantes do ICMBio e de outros órgãos responsáveis pela conservação do bioma.
Deborah Sogayar
comunicacao@icmbio.gov.brNa manhã desta terça-feira (11), representantes do Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade (ICMBio), Ibram e outros órgãos defensores do meio ambiente se reuniram no plenário da Câmara Legislativa do Distrito Federal (CLDF) para homenagear o Dia do Cerrado, comemorado no mesmo dia do evento. Foram levantados assuntos como a crise hídrica de Brasília, ocupações irregulares de terras de interesse ambiental e a importância da permanência de florestas que garantem as matérias-primas do nosso cotidiano. Também foi discutida a importância das Unidades de Conservação como ferramentas para a preservação do Cerrado e o zoneamento ecológico das áreas de amortecimento das UCs.
Para compor a mesa, compareceram ao lado da deputada Telma Rufino, presidente da Comissão de Assuntos Fundiários da CLDF e organizadora do evento, o Secretário de Meio Ambiente do Distrito Federal, Felipe Augusto Fernandes Ferreira; o presidente do Conselho Federal de Engenharia e Agronomia (Cofea), Joel Kuger; o presidente da Federação Nacional das Associações de Engenharia Ambiental e Sanitária (FNEAS), Renato Muzzolon Júnior; o presidente da Associação dos Servidores do Instituto do Meio Ambiente e Recursos Hídricos do DF (Asibram), Alisson Santos Neves; o presidente da Associação dos Engenheiros Florestais do DF, Pedro de Almeida Salles; o chefe da Unidade de Conservação APA do Planalto Central, Maurício Laxe; o representante da Associação dos Auditores Fiscais de Controle Ambiental do DF (Aficam), Waltercy dos Santos Júnior; o coordenador do projeto de recursos hídricos do bioma cerrado, professor Sérgio Kode e o presidente do Instituto Brasília Ambiental (Ibram), Aldo Cesar Vieira.
Na oportunidade, servidores do ICMBio receberam uma menção honrosa por serviços prestados ao Cerrado tanto quanto gestores de áreas de conservação no bioma, como pela pesquisa em recuperação, restauração de áreas no entorno da barragem do Descoberto, restauração na Floresta Nacional de Brasília e a lista de espécies exóticas invasores no Distrito Federal.
Segundo Felipe Ferreira, o desenvolvimento sustentável da região age em prol não só da proteção do meio ambiente, mas em especial da recuperação de áreas já atingidas pela ação do homem e da natureza. O secretário lembra que o trabalho deve ser feito em ação conjunta entre todos os órgãos responsáveis e a população em geral.
Em entrevista, Fernando Tatagiba, um dos homenageados do dia e chefe do Parque Nacional Chapada dos Veadeiros, destaca que o maior desafio no trabalho de preservação do Cerrado é sensibilizar as pessoas pela causa. “São muitas visões diferentes, tanto na área ambiental quanto na agropecuária. Nosso trabalho é fazer com que haja harmonia entre produção, justiça social e proteção ambiental”, afirma. O analista ambiental do Centro Nacional de Avaliação da Biodiversidade e de Pesquisa e Conservação do Cerrado (CPB/ICMBio), Alexandre Bonesso Sampaio, também homenageado convidado do Ibram, completa que as pessoas têm mudado o olhar para o bioma, vendo-o cada vez mais como um lugar a ser protegido.
Dia do CerradoHá 15 anos, a data marca a importância do Cerrado para a biodiversidade do país. Maurício Laxe, chefe da APA Planalto Central conta que o dia 11 de setembro foi escolhido em homenagem ao aniversário do ambientalista Ary Pára-Raios, fundador da Companhia de Teatro Esquadrão da Vida, pioneira na abordagem de temas como a preservação e valorização da cultura popular brasileira. Maurício, que participou da criação da data em 2003, desde então luta para tornar o bioma patrimônio imaterial da humanidade.Comunicação ICMBio(61) 2028-9280

Por: www.icmbio.gov.br

COMPARTILHAR