Lula e Macron lançam plano de bioeconomia de R$ 5 bilhões no Pará

 

Durante uma visita ao Pará na terça-feira (26), o presidente brasileiro Luiz Inácio Lula da Silva e o presidente francês Emmanuel Macron anunciaram um plano para impulsionar investimentos públicos e privados de 1 bilhão de euros (equivalente a R$ 5,39 bilhões) em projetos de economia sustentável na Amazônia Legal e na Guiana Francesa nos próximos quatro anos. Eles foram recebidos pelo governador do estado, Helder Barbalho.

De acordo com um comunicado à imprensa do governo federal, o plano é um grande investimento global, público e privado, para a bioeconomia, sob a presidência brasileira do G20.

O plano visa permitir investimentos na conservação e manejo sustentável das florestas, planejamento e valorização econômica dos ecossistemas e áreas florestais; em tecnologias baseadas em recursos biológicos, práticas agroecológicas e conhecimentos tradicionais; em cursos de capacitação, criação de empregos e pesquisa necessária para desenvolver indústrias sustentáveis com alto potencial nos mercados interno e externo, em todos os setores da economia florestal, incluindo a agricultura. Isso contribuirá para a conservação, manejo sustentável e/ou restauração das florestas e da biodiversidade, colocando os povos indígenas e as comunidades locais no centro das decisões.

O plano é compatível com o objetivo de aumentar a capacidade de sequestro de CO2 das florestas, reduzir as emissões de CO2 no setor florestal e proteger e gerenciar de forma sustentável a biodiversidade.

Durante a programação, que incluiu uma visita à Ilha do Combu, o presidente Lula afirmou que a COP 30, que será realizada em Belém em 2025, será a mais organizada do mundo. “No próximo ano, você terá o privilégio de vir ao estado do Pará, ouvir a Amazônia falar ao mundo o que pensamos, o que queremos. Não queremos transformar a Amazônia no santuário da humanidade. Queremos compartilhar com o mundo a exploração e a pesquisa da riqueza de nossa biodiversidade, mas que os indígenas possam participar de tudo que for usufruído nas terras onde vivem”, disse o presidente.

O governador Helder Barbalho afirmou: “Estamos comprometidos em garantir que a COP 30 seja um evento de excelência e organização exemplar. Estamos felizes em ver que o Executivo federal está priorizando a bioeconomia, assim como o Pará já fez de forma pioneira no país. Esse é o caminho para testemunharmos a transformação que a economia da floresta pode fazer, especialmente na nossa qualidade de vida. Por isso, o Pará está empenhado em receber o mundo de forma acolhedora e eficiente, trabalhando incansavelmente para garantir o sucesso deste importante evento global”.

Na cerimônia que homenageou o líder indígena da etnia Kayapó, Raoni Metuktir, com a Ordem Nacional da Legião de Honra, a maior condecoração que a França pode conceder, Emmanuel Macron elogiou a gestão nacional e os representantes dos povos indígenas na luta pela preservação do ecossistema.

“Querido Raoni, este momento é dedicado a você. Você já foi várias vezes à França e eu me comprometi a fazer essa visita. Hoje, o presidente Lula e eu fizemos isso por uma causa comum. Esta terra que pertence a vocês, que é um tesouro de biodiversidade, é também território de povos indígenas que cresceram aqui e conhecem a natureza. Neste momento, vamos celebrar vocês”, destacou Emmanuel Macron.

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas