MPA reafirma compromisso com a pesquisa e geração de dados no evento “Ciência na Gestão Pesqueira e Aquícola”

Nesta quarta-feira (13/03), a Secretaria Nacional de Registro, Monitoramento e Pesquisa da Pesca e Aquicultura (SERMOP), promoveu o evento “Ciência na Gestão Pesqueira e Aquícola: Ações para o Desenvolvimento Sustentável” , para destacar a relevância do investimento na geração de dados científicos em conjunto aos conhecimentos tradicionais para o Ministério da Pesca e Aquicultura (MPA).

Participaram do evento o ministro André de Paula, o secretário-executivo do Ministério do Meio Ambiente e Mudança do Clima (MMA), João Paulo Capobianco, a secretária de políticas e programas estratégicos do Ministério da Ciência, Tecnologia e Inovação (MCTI), Marcia Cristina Barbosa, a secretária da SERMOP, Flávia Lucena Frédou, o secretário de Pesca Artesanal, Cristiano Ramalho, a coordenadora-geral de desenvolvimento da aquicultura, Luciene Mignani, o diretor do Departamento de Pesquisa e Estatística da Pesca e Aquicultura, Marcelo Vianna, e o diretor do Departamento de Pesca Industrial, Amadora e Esportiva, Édipo Cruz. Ainda, estiveram presentes representantes das instituições de pesquisa, ensino e setor produtivo parceiros do Ministério.

Marcelo Vianna, Édipo Cruz, Marcia Cristina Barbosa, João Paulo Capobianco e Flávia Lucena
Durante este primeiro ano de gestão, o MPA firmou 94 parcerias com 42 instituições de todo o Brasil . Os projetos que vêm sendo desenvolvidos integram inovação, sustentabilidade socioeconômica e ambiental e o monitoramento da atividade. Os dados gerados são a base para a tomada de decisões fundamentadas na gestão pesqueira e para o desenvolvimento de políticas públicas. A participação ativa das comunidades pesqueiras na gestão e coleta de dados fortalece o desenvolvimento sustentável da atividade.

A secretária Flávia Lucena reforçou sobre a importância da área científica na gestão pesqueira e aquícola, “ O Brasil não tinha estatística pesqueira desde 2007, nesse sentido, nós estamos aqui para inserir a pesquisa na agenda permanente do Ministério, para colaborar no desenvolvimento das cadeias produtivas e da própria gestão. Precisamos suprir a lacuna do conhecimento em conjunto ”. A SERMOP trabalha diretamente com os desafios da ausência de dados, registro, controle e monitoramento.

Gestão compartilhada

A secretária do MCTI, Marcia Barbosa, destacou a relação entre os Ministérios principalmente na pesquisa e inovação sobre as mudanças climáticas e a descarbonização, biodiversidade dos oceanos. Essa parceria objetiva, também, tornar o setor pesqueiro mais tecnológico.

O secretário-executivo do MMA, João Paulo Capobianco, falou sobre o compromisso da gestão interministerial com a ciência e sustentabilidade : “ O Ministério do Meio Ambiente tem várias iniciativas que conversam com a Pesca, principalmente no levantamento para avaliar a situação das espécies marinhas no Brasil, somos parceiros e valorizamos a gestão compartilhada, vamos trabalhar juntos pelo Brasil ”.

Para o ministro André de Paula, “ Esse momento se insere nas prioridades centrais que estabelecemos, não venceremos esses desafios sem a pesquisa. Trabalhamos ouvindo e em conjunto com as reivindicações do setor, do pescador artesanal, nos preocupamos em estar ao lado do brasileiro, ouvindo, apoiando e fazendo-o coparticipante na gestão. O Ministério vem para empoderar o setor, com iniciativas e parcerias que foram construídas ao longo do nosso primeiro ano, que simbolizam nosso empenho, envolvimento e trabalho para seguir avançando. A pesquisa continuará sendo prioridade no MPA, estabelecer esses vínculos é fundamental para vivermos um novo momento da pesca e aquicultura no país ”.

Por: Ministério da Pesca e Aquicultura

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas