Pico da COP? A ONU busca reduzir as cúpulas climáticas de Baku e Belém


Análise para a COP-30

O chefe climático da ONU, Simon Stiell, disse que espera ver menos pessoas participando das negociações climáticas anuais da COP, após os participantes da COP28 em Dubai, em dezembro passado, atingirem um recorde de quase 84.000.

Stiell disse este mês que ele pessoalmente “gostaria de ver futuras COPs reduzidas em tamanho”, dizendo a uma audiência no think tank Chatham House, em Londres, que “maior não significa necessariamente melhor”.

COP-28 em Dubai

Em Dubai, onde a cúpula de 2023 foi realizada de 30 de novembro a 13 de dezembro, o local da Expo City era tão grande que importantes delegados eram transportados em carrinhos de golfe, enquanto patinetes elétricos estavam disponíveis para se locomover na área pública, conhecida como Zona Verde.

“Tamanho não se traduz necessariamente na qualidade dos resultados”, disse Stiell em Londres, observando que o secretariado da mudança climática da ONU (UNFCCC) está discutindo a questão com os anfitriões da COP29 no Azerbaijão este ano e da COP30 no Brasil no próximo ano.

COP-29 no Azerbaijão

COP-29 em Baku, Azerbaijão

Na semana passada, repórteres da Climate Home visitaram a cidade anfitriã da COP29, Baku, capital do Azerbaijão, em uma turnê patrocinada pela presidência da COP29, e também a localização da COP30, a cidade amazônica brasileira de Belém, para ver como estão os preparativos para as reuniões de novembro de 2024 e 2025.

O governo do Azerbaijão espera que apenas 40.000 pessoas venham ao Estádio Olímpico de Baku para as negociações deste ano, enquanto a remota localização de Belém, estradas congestionadas e a falta de hotéis provavelmente limitarão substancialmente o número de pessoas que podem participar da “COP da Amazônia”.

O número de pessoas participando das COPs aumentou drasticamente nos últimos anos. Cerca de 40.000 pessoas foram à COP26 em Glasgow, cerca de 50.000 estiveram no resort egípcio de Sharm el-Sheikh para a COP27 e quase 84.000 foram para Dubai no ano passado. Mas a maioria das 28 COPs realizadas desde 1995 contou com a presença de menos de 10.000 pessoas.

Um pouco mais da metade dos participantes do ano passado pertencia a delegações governamentais, com a maioria dos restantes sendo composta por funcionários que trabalhavam na conferência ou ativistas de organizações não-governamentais (ONGs).

Na prática, as fronteiras dessas categorias são nebulosas, já que as delegações governamentais muitas vezes incluem representantes empresariais, funcionários de ONGs, jornalistas e outros.

Estádio Olímpico de Baku
O governo do Azerbaijão será o anfitrião da COP29 na capital do país, à beira do Mar Cáspio, Baku. Um membro do comitê organizador disse ao Climate Home que eles esperam cerca de 40.000 pessoas.

O governo não teve muito tempo para se preparar, pois foi encarregado da presidência apenas em novembro passado na COP28, após as divisões geopolíticas da Europa Oriental atrasarem a decisão sobre qual país sediaria a cúpula.

Mas já tem um local: o Estádio Olímpico na periferia de Baku. Segundo a mídia estatal, a diretora de operações da COP29, Narmin Jarchalova, disse que estruturas temporárias serão construídas ao redor do estádio para acomodar as negociações e eventos paralelos. É provável que essas estruturas estejam nas áreas de estacionamento.

A cidade está acostumada a sediar grandes eventos. Dez mil pessoas vêm a cada ano para o Grande Prêmio de Fórmula 1 de Baku e o Estádio Olímpico, com capacidade para 69.870 pessoas, já sediou os Jogos Europeus de 2015, grandes concertos, a final da Liga Europa de futebol de 2019 e partidas da Euro 2020, embora não tenha sediado Jogos Olímpicos, apesar do nome.

O Climate Home visitou a área em abril enquanto estava em Baku, como parte de uma viagem de imprensa organizada pela equipe da presidência da COP29. O estádio está conectado ao centro da cidade, onde a maioria dos hotéis está localizada, por uma ferrovia de metrô da era soviética, com uma viagem de ida levando cerca de 45 minutos.

Uma viagem de carro deve levar cerca de metade disso, 20 minutos, mas o trânsito intenso paralisou as principais estradas de entrada e saída de Baku quando o Climate Home visitou.

O Climate Home perguntou à equipe da COP29 como as instalações temporárias da COP serão construídas, alimentadas e aquecidas de forma sustentável durante a cúpula, mas não recebeu resposta até o momento da publicação.

Em fevereiro, o Climate Home revelou que o governo havia instruído os hotéis em Baku a não venderem quartos para as datas de 11 a 22 de novembro da COP29 até novo aviso.

Em Londres, este mês, o chefe climático da ONU, Stiell, disse, com relação ao número de participantes, que “temos uma oportunidade com o Azerbaijão e estamos nos engajando com eles”. Ele não deu mais detalhes.

As COPs geralmente apresentam uma grande manifestação climática no sábado do meio das duas semanas de negociações. A UNFCCC está conversando com a equipe da COP29 sobre como isso será viabilizado.

Em uma reunião no ministério de energia na semana passada, o CEO da COP29 e vice-ministro da energia, Elnur Soltanov, disse a jornalistas, incluindo o Climate Home, que essas discussões foram “frutíferas”.

Grupos de direitos humanos como a Freedom House dizem que o Azerbaijão não respeita a liberdade de reunião. A polícia prendeu violentamente manifestantes da oposição em 2019.

Soltanov foi questionado se a marcha climática será permitida na cidade, que é governada pela força policial do Azerbaijão, ou apenas no local da COP29, que está sob a jurisdição dos guardas de segurança da ONU.

Ele respondeu que “essa é uma pergunta muito específica”, mas disse que o protesto é “parte integrante das pessoas expressarem suas opiniões, sua raiva, seu desespero”.

A COP da Amazônia no Brasil

Sobre Belém, que fica no norte do Brasil, perto da floresta amazônica, Stiell disse que estava “discutindo ativamente com os brasileiros como podemos reduzir o tamanho da COP para que a logística dela possa ser suportada nesse destino anfitrião”.

Em junho passado, o funcionário do ministério do clima do Brasil, André Corrêa Lago, disse à mídia local que esperava 40.000-50.000 pessoas. Mas há preocupações de que a cidade terá dificuldades para lidar com esses números.

Belém não é um destino turístico importante e tem menos de 6.000 quartos de hotel. Mesmo no ano passado, na Cúpula da Amazônia, um evento menor do que uma COP, os participantes relataram dificuldade em encontrar quartos e as tarifas dispararam.

Trabalhadores da construção civil estão atualmente transformando uma pista de aeroporto desativada de 1,6 km de comprimento no Parque da Cidade. O parque e seus novos prédios serão o principal local da COP30.

O governo do Estado do Pará diz que está quase um terço concluído. O governo federal, enquanto isso, está considerando realizar parte da COP30 em cidades maiores, como São Paulo ou Rio de Janeiro.

Um porta-voz do governo federal disse ao Climate Home que “todas as possibilidades para viabilizar a recepção de delegações e visitantes estão sendo avaliadas”.

COP
Hangar

Além do parque e seus novos edifícios, parte da conferência será realizada em um centro de conferências existente na ponta sul do parque chamado de Hangar, que sediou a Cúpula da Amazônia do ano passado.

Para os delegados da COP30, no entanto, encontrar um quarto de hotel e chegar ao local provavelmente será desafiador.

Um porta-voz do comitê organizador da COP30 disse na semana passada que, enquanto 84.000 pessoas foram à COP28, o pico diário de participação foi de apenas 41.000 no início da conferência, quando chefes de estado fizeram seus discursos.

O porta-voz disse ao Climate Home que os organizadores estão analisando trazer navios de cruzeiro para que os participantes da COP durmam neles, reformar escolas para servirem como albergues e incentivar as pessoas a alugar seus quartos no Airbnb.

Para promover a “modernização” dos quartos de hotel existentes na cidade, o governo concedeu isenções fiscais aos operadores de hotéis em compras para novos equipamentos, como frigobares, televisores e ar-condicionado.

O aeroporto da cidade, que o governo pretende melhorar antes da COP30, tem poucas conexões internacionais regulares e fica a mais de três horas de avião dos principais centros do Brasil, como São Paulo e Rio de Janeiro.

Não há trens para Belém e pegar o ônibus de Rio ou São Paulo pode levar mais de dois dias.

Mesmo dentro da cidade, o transporte é desafiador. As estradas são congestionadas, especialmente no centro, onde estão a maioria dos hotéis, durante a hora do rush e quando chove.

As autoridades tentaram resolver o problema alargando as estradas e construindo faixas exclusivas de ônibus para um sistema de Transporte Rápido por Ônibus.

Enquanto essas estão sendo construídas, elas pioraram o tráfego, mas o órgão responsável disse ao Climate Home que o trabalho está progredindo conforme o cronograma e deve ser concluído no segundo semestre de 2024, bem antes da cúpula climática da ONU no ano seguinte.

“A nova frota reforçará o sistema de transporte da capital para a COP30”, disse um porta-voz do Centro de Gestão de Transportes Metropolitanos, acrescentando que 40 dos 265 novos ônibus com ar-condicionado serão elétricos.

No entanto, a localização remota provavelmente resultará em uma pegada de carbono maior para os delegados que viajam do exterior.

Embora as COPs tenham uma pegada de carbono considerável, pesquisadores que investigam desinformação descobriram que isso muitas vezes é exagerado nas mídias sociais e tradicionais por aqueles que tentam minar a ação climática.

Exemplos incluem fotos de jatos particulares com legendas falsamente associando-os à COP ou de geradores de biocombustível com legendas erroneamente alegando que são a diesel.

Questionado sobre a pegada de carbono das COPs por um membro da audiência no Chatham House, em Londres, o chefe climático da ONU, Stiell, respondeu que “em todas as COPs, recebemos os relatórios, quantos aviões particulares e a pegada de CO2 para sediar essas COPs”.

Mas, ele acrescentou, “adotando uma visão muito pragmática, precisamos das pessoas certas ao redor da mesa para que esse processo funcione e haverá um custo para isso. Como você garante que aqueles que estão presentes são os necessários para contribuir positivamente para o processo também é importante.”


Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas