A influência do cobre na perspectiva do desenvolvimento econômico sustentável

A Economia Verde, conforme definida por pesquisadores como Tilman Altenburg e Claudia Assmann, busca acelerar a transformação estrutural em direção a uma economia de baixo carbono e eficiente no uso de recursos. Em conjunto, a política industrial verde, conforme descrita por Aaron Cosbey, procura estruturar meios de produção favoráveis ao meio ambiente, produzindo bens de melhor desempenho ambiental. Ambos os conceitos visam abordar diretamente os desafios ambientais e criar um futuro sustentável.

Os benefícios dessas abordagens incluem a criação de empregos especializados, ganhos de vantagens competitivas para produtos e, crucialmente, a capacidade de manter o crescimento populacional de forma saudável e sustentável. O uso consciente do Cobre desempenha um papel significativo nessas estratégias, destacando-se como um recurso essencial para alcançar metas de eficiência energética, descarbonização e desenvolvimento sustentável.

O Cobre se destaca em iniciativas de Pesquisa e Desenvolvimento (P&D) para sistemas de transporte elétrico, geração de eletricidade a partir de fontes renováveis e na fabricação de aparelhos energeticamente eficientes. Sua relação custo-benefício e eficiência energética impulsionam a transição para uma economia mais verde. A Comissão Europeia classifica o Cobre como insumo essencial para a transição energética e eletrificação, antecipando um aumento significativo da demanda até 2050.

Além disso, o Cobre desempenha um papel fundamental na produção de energia limpa, sendo amplamente utilizado em geradores eólicos, solares, hidráulicos e sistemas de distribuição. A sinergia entre o uso do Cobre e o desenvolvimento de energias limpas é evidente, contribuindo para a redução das emissões de carbono e promovendo uma matriz energética mais sustentável.

As propriedades antimicrobianas do Cobre também são destacadas, com superfícies de Cobre capazes de eliminar fungos, bactérias e vírus. Essa característica é valiosa em ambientes hospitalares e locais de grande circulação, contribuindo para a redução da transmissão de doenças. Além disso, o Cobre é utilizado em sistemas de refrigeração e ar-condicionado, melhorando a qualidade do ar ao inibir o crescimento de mofo.

Do ponto de vista agrícola, o Cobre desempenha um papel vital na Agricultura Orgânica, sendo utilizado em defensores agrícolas tradicionais. Essas soluções à base de Cobre possibilitam o manejo seguro de fungos em cultivos, contribuindo para práticas agrícolas mais sustentáveis.

O investimento contínuo na cadeia do Cobre não apenas garante a sobrevivência dos negócios existentes, mas também promove a perenidade da sociedade e do meio ambiente, contribuindo significativamente para a consecução da Economia Verde e seus objetivos sustentáveis.

 

Edição Atual

Noticias Relacinadas