A poluição das fazendas de ovos ameaça o Rio Wye

O Rio Wye, um dos mais belos e biodiversos rios da Europa, está sofrendo com a poluição causada pelas fazendas de ovos caipiras que se multiplicaram na região nas últimas décadas. Um projeto de um grupo de conservação encontrou efluentes e águas contaminadas fluindo diretamente para os cursos d’água que alimentam o rio, colocando em risco sua vida selvagem e sua qualidade.

A River Action, uma instituição de caridade que luta pela proteção dos rios, obteve detalhes das visitas de orientação às fazendas de ovos caipiras sob as leis de liberdade de informação. Dos 47 locais visitados na Inglaterra e no País de Gales na bacia do Wye, 19 tinham drenos que saíam das unidades de aves para um curso d’água próximo. Muitas das fazendas tinham drenos escavados a poucos metros dos galpões, onde centenas de milhares de galinhas produzem toneladas de excrementos.

“Esses documentos mostram que um grande número de fazendas de produção de ovos intensiva tem permitido que o excremento das galinhas escorra, sem qualquer mitigação adequada, direto para o sistema fluvial. Isso é uma clara violação das regulamentações, e os órgãos que protegem o meio ambiente têm sido em grande parte negacionistas enquanto isso tem acontecido. Houve uma negligência escandalosa ao longo dos anos”, disse Charles Watson, presidente da River Action.

A River Action está buscando uma revisão judicial da Agência Ambiental (EA), alegando que ela falhou em proteger o Wye da poluição agrícola. A agência é responsável por fiscalizar e aplicar as regras sobre o uso e o descarte de esterco orgânico, que pode causar a eutrofização das águas, um fenômeno que reduz o oxigênio e favorece o crescimento de algas nocivas.

O Wye, que nasce no País de Gales e deságua no Severn, na Inglaterra, é um Patrimônio Mundial da Unesco e um Sítio de Interesse Científico Especial. Ele abriga diversas espécies de peixes, como salmões, trutas e lampreias, além de aves, mamíferos e plantas raras. No entanto, sua condição foi rebaixada em maio passado, depois que ativistas alertaram que seu ecossistema havia sido devastado pela produção intensiva de aves.

A demanda por ovos caipiras cresceu muito nos últimos anos, levando ao aumento do número de unidades de produção na bacia do Wye. Segundo a Noble Foods, proprietária da marca de ovos caipiras Happy Egg Company, as fazendas familiares que a fornecem representam menos de 5% do total do rebanho de aves na área. A empresa disse que tem trabalhado com os produtores para encontrar e financiar soluções para os problemas de poluição.

As visitas de orientação às fazendas foram conduzidas pela Fundação Wye e Usk, que trabalha para melhorar a ecologia desses dois rios. A fundação disse que a água de drenagem das fazendas era um risco de poluição e não deveria ser direcionada para os cursos d’água. Ela também disse que muitos dos desafios eram o legado de decisões históricas de planejamento ruins, como a localização das unidades muito perto dos rios.

A EA disse que reconhece que o Rio Wye está sob pressão e que está oferecendo uma ampla gama de apoio aos agricultores para acelerar sua transição para práticas mais sustentáveis. Ela também disse que realizou 493 inspeções em fazendas e emitiu 285 ações de melhoria na bacia do Wye entre abril e dezembro de 2023.

A River Action espera que a revisão judicial, que deve ser ouvida no próximo mês no tribunal superior de Cardiff, leve a EA a tomar uma posição firme e a fazer cumprir as regras. “O objetivo final da River Action é que a agência proteja o Rio Wye, que é um tesouro nacional e um patrimônio da humanidade”, disse Watson.

Edição Atual

Noticias Relacinadas