A Revolução da Sustentabilidade: Oportunidades na Era Digital

Ao longo da história, inovações disruptivas têm sido a resposta a grandes desafios, mas também oportunidades. O tear mecânico, a máquina a vapor, a eletricidade, o motor de combustão interna, as telecomunicações e a tecnologia da informação, todos interromperam os negócios como de costume e forçaram as empresas a otimizar ou se reinventar.

Um dos pontos de inflexão mais conhecidos da história foi a proliferação do automóvel. Henry Ford, que cunhou o termo “linha de montagem”, tornou o automóvel acessível e disponível para as massas, apesar da dificuldade em visualizar um futuro onde todos dirigem carros. Hoje, enfrentamos outro ponto de inflexão com desafios como mudanças climáticas, inflação, interrupções na cadeia de suprimentos, escassez de mão de obra e tensões geopolíticas crescentes.

A rápida proliferação de tecnologias digitais inteligentes, como a IA, está mais uma vez perturbando os negócios e a sociedade. Essas tecnologias podem conter as respostas para contrariar o risco de recessão: produtos inteligentes que permitem às empresas alcançar mais enquanto usam menos recursos e, em última análise, reduzir suas próprias pegadas de carbono. A sustentabilidade está se tornando uma oportunidade – talvez a maior em uma geração.

Um setor que tem visto um crescimento significativo nos últimos anos tem sido o dos veículos elétricos. À medida que o mundo se afasta dos combustíveis fósseis, haverá muito mais demanda por veículos elétricos e as baterias que os alimentam. No entanto, o impacto ambiental da produção de baterias pode ser significativo, especialmente se forem fabricadas em cadeias de valor lineares e alimentadas com o uso de meios de energia convencionais. É por isso que a demanda por baterias mais verdes está prestes a crescer.

Empresas como a Northvolt, que se tornou pioneira no setor de baterias verdes, sabem disso e reconhecem o potencial de negócios de produtos sustentáveis baseados em cadeias de valor circulares. E porque eles se levantaram para o desafio, eles viram um grande crescimento nos negócios.

Não é apenas a indústria automobilística que está prestes a fazer a transição, porém. Para a Inteligência Artificial, 2023 foi um ano de avanço. Agora, devemos nos concentrar em como podemos usar a IA e outras tecnologias digitais para melhorar a sociedade no mundo real.

Se olharmos para a Siemens, combinar os mundos real e digital é uma pedra angular dos negócios da empresa. Se as empresas podem simular o mundo real em um ambiente virtual, como através de um gêmeo digital, elas podem otimizar e testar produtos antes de serem construídos ou fabricados; eles podem reduzir o desperdício; eles podem monitorar uma série de processos para prevenir falhas ou atrasos; e eles podem economizar e reutilizar recursos enquanto melhoram sua pegada ambiental. E agora com a IA, as empresas poderão aumentar sua produtividade.

As tecnologias digitais nos permitem tornar os produtos e processos mais eficientes, sustentáveis e economicamente viáveis. Isso é significativo, especialmente contra o pano de fundo da inflação e dos preços crescentes, mas também para a descarbonização. Eles podem até nos ajudar a rastrear e gerenciar pegadas de carbono em toda a cadeia de suprimentos, como a Siemens provou ser possível por meio de sua ferramenta de rastreamento de emissões SiGREEN. Imagine se cada produto tivesse que carregar uma pegada ambiental. A revolução da sustentabilidade está apenas começando, e as oportunidades são infinitas na era digital.

Edição Atual

Noticias Relacinadas