Aprosoja alerta: Queda de receita e produtividade da soja exige cautela dos produtores

Diante do atual cenário de queda de preços, aliado aos elevados custos de produção e à lamentável redução da produtividade na safra atual, a Aprosoja Brasil emite um alerta urgente aos produtores de soja e milho sobre a necessidade de redobrar a cautela e os cuidados ao realizarem negociações nos próximos meses.

A entidade faz recomendações cruciais aos produtores, instando-os a adotar prudência ao evitar vendas precipitadas, tanto imediatas quanto futuras, e a não ceder à pressão das empresas para antecipar compras. Além disso, a Aprosoja aconselha a não realizar investimentos ou planejar a expansão da área cultivada. Em especial, destaca a importância de não adquirir fertilizantes, cujos preços têm aumentado nas últimas safras e ainda não retornaram aos patamares ideais para uma relação custo-benefício favorável. Essa recomendação também se estende a sementes e defensivos agrícolas.

Com os preços atuais da saca de soja abaixo dos 100 reais pela primeira vez em três anos, houve uma redução média de 33% na receita da atividade em comparação com a safra anterior. Nas últimas projeções, as margens de lucro já se encontram negativas em muitos estados, com perdas consideráveis causadas por fatores climáticos adversos.

Tomando como exemplo o estado de Mato Grosso, onde a soja está cotada em torno de 94 reais a saca, os produtores enfrentam margens negativas, resultando em prejuízos significativos por hectare.

Considerando que ainda não foi colhido cerca de 20% da safra em nível nacional e que os produtores continuam enfrentando altas incidências de doenças e anomalias fisiológicas, é esperado que as perdas aumentem ainda mais. A média estimada pela Aprosoja para Mato Grosso até o momento é de 49 sacas por hectare.

Além disso, as estimativas de safra divulgadas pela Companhia Nacional de Abastecimento (Conab) continuam distantes da realidade da produção, evidenciando uma lacuna entre as estatísticas oficiais e os números levantados pelos próprios produtores.

Diante desse quadro preocupante, a Aprosoja Brasil alerta para o risco iminente de desabastecimento, já que as projeções indicam uma redução nas exportações e um aumento no consumo interno, resultando em uma inevitável quebra de safra.

Portanto, é crucial que os produtores adotem uma postura cautelosa e estratégica diante das condições adversas do mercado, buscando preservar sua saúde financeira e a sustentabilidade de suas operações.

Edição Atual

Noticias Relacinadas