CSN quer investir R$ 28,2 bilhões em minério de ferro, aço e cimento

A Companhia Siderúrgica Nacional (CSN) pretende investir um total de R$ 28,2 bilhões até 2028 em suas operações de minério de ferro, siderurgia e produção de cimento. O anúncio foi feito em comunicado aos acionistas e ao mercado em geral. O grupo informou, ainda, que tem nova projeção de faturamento, de R$ 900 milhões, com a subsidiária CBSI, em 2023 e R$ 1,2 bilhão em 2024. O CAPEX da companhia na siderurgia deve ser de aproximadamente R$ 7,9 bilhões no período de 2023-2028, relativos à modernização do parque industrial com potencial, de gerar até R$ 2,8 bilhões de EBITDA incremental em 2028. Em relação ao volume de produção e compras de minérios de terceiros, a CSN fez novas projeções que devem atingir entre 42 e 43,5 milhões de toneladas em 2024, 42 milhões de toneladas em 2025, 44 milhões de toneladas em 2026, 53 milhões de toneladas em 2027 e 68 milhões de toneladas em 2028.

A CSN projeta custo C1 da mineração para um patamar entre US$ 21,5/tonelada e US$ 23/tonelada em 2024, além da substituição da projeção de CAPEX de expansão na Mineração de um patamar de R$ 13,8 bilhões no período de 2023-2027 para um patamar de R$ 15,3 bilhões no período de 2023-2028, relativos à fase 1 do projeto de adição de capacidade. O EBITDA tem potencial para alcançar R$ 4 bilhões com o projeto da Planta de Itabirito P15 após a maturação das operações prevista para ocorrer em 2028. A companhia prevê investimento de até R$ 5 bilhões em crescimento orgânico na operação de cimentos, adicionando um total de oito milhões de toneladas anuais. As vendas de cimentos estão projetadas em 13, 067 milhões t em 2023, com um EBITDA de R$ 1,018 bilhão no mesmo período.

A CSN projeta gerar até R$ 3,5 bilhões de EBITDA na Transnordestina após o início das operações estimado para começar em 2027, enquanto a substituição da projeção de CAPEX Consolidado de R$ 5,5 – R$ 6,5 bilhões no período de 2024-2027 para um total de R$ 4,4 bilhões em 2023, R$ 6,0 bilhões em 2024 e um intervalo de R$ 6,0 a R$ 7,0 bilhões no período de 2025 – 2028. O EBITDA Consolidado em 2028 deve variar de R$ 19,6 bilhões até R$ 37,6 bilhões, dependendo da média anual de preço do minério de ferro (referência de 62% de Fe) variando de US$ 90/t até US$ 150/t; e da média anual de preço da bobina de aço laminado a quente (HRC China Exportação) variando de US$ 550/t até US$ 650/t.

Fonte: Brasil 61

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas

×