É preciso não só avançar no entendimento sobre a evolução humana, mas também reduzir a nossa ignorância sobre o tema

Uma iniciativa pioneira está transformando a realidade das comunidades indígenas no coração da Amazônia. O projeto NAVI ON, desenvolvido pela startup NAVI Global (Flora Dutra — Ricardo Birenbaum) e Associação Kapyvanaway (Enoque Marubo), acaba de conectar 20 aldeias do Povo Marubo, no Vale do Javari, à internet por meio da tecnologia de satélites Starlink, proporcionando acesso à informação, serviços de saúde e monitoramento do território como nunca antes.

Entrega das antenas Starlink na aldeia Kapyvanaway para lideranças indígenas. Imagens: Brandon Weaver.

A missão, que ocorreu em setembro de 2023, foi um marco histórico para as comunidades indígenas da Amazônia. A CEO da NAVI Global, Flora Dutra, e o Presidente da Associação Kapyvanaway, Enoque Marubo, lideraram essa iniciativa na floresta amazônica, contando com o apoio fundamental de colaboradores internacionais, Allyson Reneau e Brandon Weaver.

Logística para acesso remoto ao Vale do Javari. Uma viagem de 6h de barco e mais 2 dias de caminhada pela floresta amazônica. Imagens: Brandon Weaver.

As instalações das antenas Starlink nas aldeias Marubo foram um desafio logístico impressionante, dadas as condições remotas da região. No entanto, a determinação da equipe e o apoio das lideranças locais permitiram que o projeto fosse concluído com sucesso.

Cada antena Starlink foi distribuída em Kapyvanaway e levada de barco às comunidades Marubo do Alto Rio Ituí — Imagens: Brandon Weaver.
Brandon Weaver, João Marubo, Flora Dutra, Enoque Marubo, Allyson Reneau e Shoi Marubo. Caminho na floresta amazônica no Território Indígena Vale do Javari.

O impacto desse projeto é imensurável. Mais de 1.000 indígenas Marubo agora têm acesso à internet de alta velocidade, o que abre um mundo de oportunidades. As implicações são profundas, desde a melhoria no acesso à informação até a possibilidade de pedidos de emergência para cuidados de saúde em tempo real.

Além disso, o projeto NAVI ON ganhou destaque internacional quando a equipe foi convidada para apresentar essa ação no painel da NASA na Assembleia Geral das Nações Unidas. A apresentação online transmitida para o mundo inteiro atraiu a atenção global para a importância da conectividade nas áreas remotas da Amazônia e sua relevância para a preservação da cultura e da biodiversidade.

Participação no Painel da NASA para a Assembleia Geral das Nações Unidas.

O sucesso do projeto NAVI ON agora inspira planos para sua expansão. A equipe está empenhada em conectar mais de 200 aldeias, incluindo o Povo Yanomami, Huni Kuin, Matis, Mayuruna, Kulina e Guajajara, utilizando a mesma tecnologia de satélites Starlink. A ambição é criar uma rede de comunicação que abranja toda a região amazônica, proporcionando um aumento significativo na qualidade de vida das comunidades indígenas.

“Este é apenas o começo”, disse Flora Dutra, CEO da NAVI Global. “Nossa visão é criar uma rede que conecte todas as comunidades indígenas da Amazônia, permitindo que elas preservem suas culturas, compartilhem conhecimento e tenham acesso a serviços essenciais”. Essa conexão não apenas melhora suas vidas, mas também reforça a importância da preservação da riqueza cultural e ambiental que a Amazônia representa para o planeta. O projeto NAVI ON é um exemplo inspirador de como a tecnologia pode ser usada para promover o bem-estar das comunidades indígenas e a conservação da Amazônia.

Os Desafios e Oportunidades da Conexão na Amazônia

Após o sucesso inicial do projeto NAVI ON, o foco agora está na expansão da conectividade para mais de 200 aldeias em toda a região amazônica, incluindo povos como Yanomami, Huni Kuin, Matis, Mayuruna, Kulina e Guajajara. No entanto, essa missão está acompanhada por desafios complexos como a logística de difícil acesso à áreas remotas.

Reunião na Aldeia Pakavanaway — Vale do Javari (Amazonas) Imagens: Brandon Weaver.

Uma das maiores barreiras enfrentadas pelas equipes de implementação é a vasta extensão da floresta amazônica e as distâncias significativas entre as aldeias. Isso exige um planejamento logístico minucioso, que inclui a obtenção de autorizações ambientais para garantir que a instalação das antenas Starlink seja feita de forma sustentável e respeitosa ao meio ambiente.

CEO da NAVI Global Flora Dutra conectando a Aldeia Pakavanaway. Imagens: Brandon Weaver.

Além disso, a equipe precisa levar em consideração as especificidades culturais e linguísticas de cada grupo indígena, garantindo que a tecnologia da informação seja utilizada de maneira que respeite e promova as tradições locais. Esse aspecto delicado requer uma colaboração estreita com líderes e anciãos das aldeias, de modo a garantir que a conexão à internet ajude na preservação das línguas e culturas indígenas.

Assembleia na Aldeia Kapyvanaway sobre a conectividade de 20 aldeias no Alto Rio Ituí. Imagens: Brandon Weaver.

O Presidente da Associação Kapyvanaway, Enoque Marubo, destacou a importância dessa colaboração culturalmente sensível: “Não estamos apenas trazendo a internet para nossas comunidades, mas também aprendendo a incorporar essa tecnologia em nosso modo de vida, de maneira que fortaleça nossa identidade e nosso conhecimento tradicional”.

Presidente da Associação Kapyvanaway, Enoque Marubo sobre a importância da conectividade para emergências de saúde indígena. Imagens: Brandon Weaver.

Uma das principais vantagens da conexão à internet via Starlink é a capacidade de acessar pedidos de emergência de saúde em tempo real. Isso é particularmente crucial em regiões remotas onde o acesso a serviços médicos é limitado. A CEO da NAVI Global, Flora Dutra, enfatiza esse aspecto: “A capacidade de buscar assistência médica imediatamente pode salvar vidas. Estamos comprometidos em garantir que as comunidades indígenas tenham acesso a cuidados de saúde adequados e oportunidades educacionais por meio da internet”. Além disso, a conectividade oferece oportunidades educacionais sem precedentes. As escolas nas aldeias podem acessar recursos educacionais online, permitindo que as crianças indígenas tenham acesso a um currículo mais amplo e a oportunidades de aprendizado enriquecedoras.

CEO da NAVI Global Flora Dutra e a liderança de Kapyvanaway Eduardo Marubo sobre o desenvolvimento sustentável das aldeias. Imagens: Brandon Weaver.

O projeto NAVI ON também está em parceria com organizações e instituições de pesquisa para desenvolver programas de monitoramento do território e conservação ambiental. O uso de tecnologia de satélites permitirá que as comunidades indígenas desempenhem um papel ativo na preservação da Amazônia, monitorando a devastação ambiental e a intrusão ilegal em seus territórios. No entanto, é importante lembrar que essa iniciativa não está isenta de desafios contínuos, como a manutenção das antenas, a sustentabilidade energética e o acesso à capacitação técnica para as comunidades locais.

Imagens: Brandon Weaver.

O projeto NAVI ON é um exemplo inspirador de como a tecnologia pode ser usada como uma ferramenta para o empoderamento das comunidades indígenas e para a conservação da Amazônia. À medida que a conectividade se expande para mais aldeias e povos, a esperança é que essas comunidades continuem a prosperar, mantendo suas tradições culturais enquanto aproveitam os benefícios da era digital. O mundo observa com interesse essa jornada extraordinária na busca por um futuro mais inclusivo e sustentável para a região amazônica e seus habitantes.

Rosã Ewa sobre a importância do recebimento da conexão para o Povo Marubo do Vale do Javari em Assembleia na aldeia Kapyvanaway. Imagens: Brandon Weaver.

Apoio Global para Conectar os Povos Indígenas da Amazônia

O sucesso do projeto NAVI ON não se limita apenas às comunidades indígenas da Amazônia; ele também está impulsionando um movimento global em prol da conectividade e do apoio às populações indígenas em todo o mundo. A iniciativa, que conectou 20 aldeias Marubo à internet de alta velocidade, demonstrou o potencial transformador da tecnologia e destacou a necessidade urgente de expandir esse acesso para todas as comunidades indígenas.

Participação do painel da NASA para a Assembleia Geral das Nacções Unidas.

O projeto NAVI ON chamou a atenção de organizações de direitos humanos, empresas de tecnologia e agências governamentais em todo o mundo. Muitos estão agora buscando maneiras de apoiar essa causa e replicar o sucesso em outras regiões. A colaboração internacional desempenhou um papel fundamental no projeto NAVI ON. Allyson Reneau e Brandon Weaver, especialistas em tecnologia e conectividade, contribuíram com seu conhecimento e experiência para garantir o êxito da iniciativa. Isso ressalta a importância de parcerias entre diferentes setores da sociedade para abordar questões complexas, como a inclusão digital em áreas remotas.

Allyson Reneau conectando a Aldeia Pakavanaway. Imagens: Brandon Weaver.

A CEO da NAVI Global, Flora Dutra, enfatiza a necessidade de uma abordagem colaborativa mais ampla: “A conectividade é um direito humano básico. Estamos encorajados pelo apoio que recebemos até agora, mas sabemos que há muito mais a ser feito. Precisamos de parcerias globais para garantir que todas as comunidades indígenas da Amazônia e de outras regiões tenham acesso à internet e às oportunidades que ela oferece”.

Essa crescente conscientização e apoio global estão abrindo portas para a criação de fundos e programas dedicados à conectividade indígena. Essas iniciativas visam não apenas fornecer acesso à internet, mas também garantir que as comunidades tenham a capacidade de aproveitar ao máximo essa tecnologia, desenvolvendo habilidades digitais e criando oportunidades econômicas sustentáveis.

Aldeia Kapyvanaway. Imagem: Enoque Marubo

O sucesso do projeto NAVI ON na Amazônia inspira esperança para um futuro onde todas as culturas indígenas ao redor do mundo possam prosperar, mantendo suas identidades únicas e contribuindo para a preservação da biodiversidade global. Enquanto a conectividade indígena continua a ganhar destaque nas agendas globais, a esperança é que esse movimento seja um catalisador para ações concretas. A conectividade digital não apenas aumenta a qualidade de vida das comunidades indígenas, mas também desempenha um papel fundamental na preservação das florestas tropicais e na mitigação das mudanças climáticas.

O projeto NAVI ON é um lembrete poderoso de que, ao unirmos forças, podemos superar desafios aparentemente intransponíveis. Ao apoiar a conectividade das comunidades indígenas da Amazônia, estamos não apenas oferecendo oportunidades individuais, mas também investindo no futuro da humanidade e do planeta Terra. É um chamado à ação global para garantir que ninguém seja deixado para trás na era digital, independentemente de onde estejam localizados.

Lideranças indígenas do Povo Marubo recebendo antenas Starlink para conexão via satélite. Imagens: Brandon Weaver.
Distribuição da conectividade via satélite na maior ação de conexão indígena da Amazônia. Imagens: Brandon Weaver.

Depoimento de Allyson Reneau, Doadora das Antenas Starlink

“Estou profundamente emocionada e grata por ter tido a oportunidade de contribuir com o projeto NAVI ON, fornecendo as 20 antenas Starlink que agora conectam as aldeias Marubo no Vale do Javari à internet. Ver o impacto positivo que essa conectividade está tendo nas vidas dessas comunidades indígenas é verdadeiramente inspirador. Acreditamos firmemente que o acesso à internet é um direito humano fundamental e uma ferramenta poderosa para o empoderamento. Estamos comprometidos em continuar apoiando iniciativas como essa que buscam promover a inclusão digital e preservar a diversidade cultural das comunidades indígenas da Amazônia.”

Allyson Reneau e Abraão Marubo na reunião da Associação Kapyvanaway. Imagens: Brandon Weaver.

Depoimento do Presidente da Associação Kapyvanaway, Enoque Marubo

“Para a Associação Kapyvanaway e para todas as comunidades indígenas do Vale do Javari, a conexão à internet é mais do que apenas uma inovação tecnológica. É uma ponte para o mundo fora das florestas que nos permite compartilhar nossa cultura, conhecimento e necessidades urgentes. Estar conectado significa melhorar o acesso a serviços de saúde, educação e comunicação, mas também significa que podemos ser uma voz mais forte na defesa de nossos territórios e na preservação da Amazônia. Agradecemos profundamente à equipe da NAVI Global, aos doadores, e a todos que tornaram este projeto uma realidade. Agora, podemos sonhar com um futuro mais promissor para nossas comunidades.”

Imagens: Brandon Weaver.

Depoimento de Brandon Weaver, Voluntário de Filmagem e Fotografia

“Fazer parte da missão NAVI ON na Amazônia foi uma experiência verdadeiramente transformadora. Documentar o processo de instalação das antenas Starlink e a reação das comunidades indígenas à chegada da internet foi uma jornada emocionante. Ver o impacto imediato dessa tecnologia nas vidas das pessoas, desde o acesso a cuidados de saúde até a oportunidade de compartilhar suas histórias e culturas com o mundo, foi incrivelmente gratificante. Como voluntário, estou honrado por ter contribuído para disseminar essa importante mensagem de conectividade e inclusão digital.”

Imagens: Flora Dutra.

Depoimento da CEO da NAVI Global, Flora Dutra

“O projeto NAVI ON representa não apenas um marco na nossa jornada como empresa, mas também uma missão pessoal que tem um lugar muito especial em meu coração. Ver as 20 antenas Starlink iluminarem as aldeias Marubo no Vale do Javari com conectividade de alta velocidade foi um momento de realização incomparável.

Imagens: Brandon Weaver.

Acreditamos firmemente que a tecnologia pode ser uma força para o bem e que a conectividade é um direito humano fundamental. O acesso à internet não deve ser um luxo reservado apenas para alguns, mas uma ferramenta que capacita a todos, independentemente de onde vivam. As comunidades indígenas da Amazônia têm sido guardiãs da floresta tropical e de suas culturas ricas por gerações. Agora, com a capacidade de se conectarem ao mundo, esperamos que possam continuar a desempenhar esse papel fundamental, preservando não apenas suas florestas, mas também suas línguas, tradições e sabedoria ancestral.

Flora Dutra e Sebastião Marubo, vice-presidente da Associação Kapyvanaway. Imagens: Brandon Weaver.

A colaboração com a Associação Kapyvanaway, o apoio de doadores como Allyson Reneau e a dedicação voluntária de Brandon Weaver tornaram tudo isso possível. Estamos comprometidos em seguir adiante, expandindo essa iniciativa para conectar mais comunidades indígenas e trabalhando em estreita colaboração com elas para garantir que a tecnologia seja usada de maneira sensível às suas necessidades e valores culturais. O projeto NAVI ON é um lembrete poderoso de que, quando nos unimos em busca de um objetivo comum, podemos superar desafios aparentemente insuperáveis e fazer a diferença nas vidas das pessoas. Estamos determinados a continuar essa jornada, não apenas na Amazônia, mas em todo o mundo, para criar um futuro mais inclusivo e sustentável para todos.”

Imagens: Brandon Weaver.

Depoimento do Co-founder da NAVI Global, Ricardo Birenbaum

Participar deste projeto NAVI ON, mesmo à distância, tem sido uma experiência incrivelmente gratificante e inspiradora para mim como co-founder da NAVI Global. Ver nossa equipe se unir para conectar comunidades indígenas remotas na Amazônia à internet de alta velocidade é um testemunho do poder da inovação e da colaboração.

Imagens: Denise Birenbaum.

Desde o início, a NAVI Global tem se dedicado a utilizar a tecnologia para criar impacto positivo na vida das pessoas, e o projeto NAVI ON é a realização desse compromisso. Acredito profundamente que a conectividade é uma ferramenta que pode capacitar as comunidades e amplificar suas vozes. Colaborar com a Associação Kapyvanaway e contar com o apoio de doadores, como Allyson Reneau, foi fundamental para o sucesso desta iniciativa. Ver as aldeias Marubo agora conectadas à internet, abrindo portas para oportunidades e serviços essenciais, é uma prova de que o trabalho em equipe e a dedicação podem superar desafios complexos.

Imagens: Denise Birenbaum.

Estou orgulhoso de fazer parte dessa jornada, mesmo à distância, e estou comprometido em continuar apoiando a expansão desse projeto e outras iniciativas que usem a tecnologia para melhorar a qualidade de vida das comunidades em todo o mundo. O projeto NAVI ON é um exemplo inspirador de como a tecnologia pode ser uma força para o bem, e estou animado com o que o futuro reserva para essa parceria e nossa missão global de inclusão digital.”

Confira algumas imagens das aldeias Marubo sendo conectadas no Vale do Javari (AM)

Para colaborar com o projeto NAVI ON use PayPal naviglobalbr@gmail.com

Aldeia Alegria — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Carneiro — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Kapyvanaway— Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Koma Matxi— Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Liberdade— Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Mancio Lima — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Manakeyaway e Nane Matxi— Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Pakavanaway— Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Paraná e Aldeia Paulino — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Pentiaquinho — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Vida Nova — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)
Aldeia Boa Vista e Rio Novo — Alto Rio Ituí (VALE DO JAVARI — AM)

AGRADECIMENTOS: FUNAI de Atalaia do Norte, UNIVAJA, Morel Fourman, Gaia Soft, Matej Hacin, Instituto de Culturas Indígenas Karioka, Instituto Nawá, Fábio Alperowitch, Bruno Ferraz, Mario Regis, Fundação Txai, Fundação Planeta, Iron Wing Studios, NativeNet, NASA, ONU, Dan e Robin Hawk e todas pessoas que doaram para que pudessemos realizar essa missão. Muito obrigado.

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas