Equipamento de Baixo Custo Ajuda a Manter o Fornecimento de Energia em Áreas Afetadas por Chuva e Vento

A HartBR, uma empresa de base tecnológica de São Paulo, está revolucionando o setor de energia com o desenvolvimento de uma versão moderna e econômica de um religador trifásico. Este equipamento é crucial para isolar e desativar seções de redes de energia quando ocorrem problemas, como a queda de árvores, garantindo a continuidade do fornecimento de eletricidade nas áreas afetadas.

Parceria de Pesquisa e Desenvolvimento

A inovação é resultado de uma parceria de pesquisa e desenvolvimento (P&D) entre a HartBR e a EDP Brasil, uma empresa do setor de energia. O projeto contou com o apoio do Programa Pesquisa Inovativa em Pequenas Empresas (PIPE) da FAPESP.

Segundo Celso Garcia Lellis Júnior, diretor-fundador da HartBR, o projeto começou do zero, com o objetivo de desenvolver uma nova versão do equipamento baseada nas necessidades das empresas, tecnologias mais modernas e novos conceitos industriais.

O Papel dos Religadores

Os religadores, instalados no alto dos postes e na entrada ou saída das linhas nas subestações, têm a função de identificar curtos-circuitos causados na rede elétrica por eventos climáticos, como chuvas e ventanias, ou interferência de vegetação, entre outras intempéries.

Quando o problema é regularizado, a rede é reenergizada automaticamente, sem a necessidade de a concessionária enviar uma equipe técnica ao local. Estima-se que o uso de religadores garanta uma melhora de 70% a 80% nos indicadores de continuidade do serviço de distribuição de energia.

Limitações dos Religadores Tradicionais

As concessionárias de energia já utilizam religadores. No entanto, de acordo com Lellis Júnior, eles são caros, de fabricação complexa e requerem muita manutenção. Além disso, foram desenvolvidos com base em princípios e tecnologias de décadas atrás e podem ser considerados quase ultrapassados.

Os religadores tradicionais usam baterias seladas à base de chumbo ácido, que precisam ser trocadas a cada dois anos e descartadas adequadamente, gerando uma grande complicação logística para as concessionárias.

A Solução da HartBR

Com base nessas constatações, os engenheiros da HartBR conseguiram substituir as baterias à base de chumbo ácido por supercapacitores. Estes dispositivos acumulam e liberam energia de forma quase instantânea e em grandes quantidades, com uma vida útil equivalente à do próprio religador.

Os supercapacitores são alimentados pela própria rede elétrica e contam com um sistema de suporte auxiliar composto por painéis solares, eliminando a necessidade de substituições periódicas realizadas em produtos que usam baterias.

Esta inovação representa um grande avanço para o setor de energia, oferecendo uma solução mais sustentável e eficiente para a gestão de redes de energia.

Edição Atual

Noticias Relacinadas