Indígenas e Quilombolas relataram a Jornada para o Ensino Superior via PSE

 

Em dezembro de 2023, a Universidade Federal do Pará (UFPA) anunciou os resultados do Processo Seletivo Especial para Indígenas e Quilombolas 2024 (PSE I/Q UFPA 2024). Com isso, 95 indígenas e 318 quilombolas foram aprovados no processo seletivo, abrindo caminho para a realização de seus sonhos de ingressar na vida universitária na UFPA. Uma das principais motivações para a escolha dos cursos é a aspiração de levar serviços de qualidade para suas comunidades.

O PSE I/Q foi criado para assegurar o acesso de populações tradicionais ao ensino superior. Oferece a estudantes indígenas e quilombolas, que ainda não iniciaram um curso de graduação, a chance de concorrer a vagas em 197 cursos de graduação da UFPA, disponíveis em todos os campi da Universidade. Entre os aprovados, está o jovem indígena Riquelme Ropric Bandeiras Guara, de 22 anos, da aldeia Crehntohw (Aldeia Nova) da etnia Gavião, do Maranhão, que escolheu o curso de Psicologia com o objetivo de ajudar sua comunidade, que até então não tem indígenas formados nesta área.

Riquelme explica que, apesar da demanda de indígenas que necessitam de cuidados para a melhoria da saúde mental, eles não se sentem confortáveis com o atendimento oferecido por não-indígenas, devido às barreiras linguísticas e culturais.

A aprovação no processo seletivo foi motivo de grande alegria e comemoração nas comunidades que tiveram estudantes aprovados. No entanto, alguns candidatos também enfrentaram uma mistura de sentimentos, pois tiveram que se preparar para deixar seu território de origem para viver o sonho da graduação em outros territórios. Este é o caso de Josias da Silva Santos Junior, de 18 anos, calouro quilombola da Comunidade remanescente de Uxizal, que mencionou os desafios que terá que enfrentar nesta nova realidade que será a vida acadêmica.

Josilene Nunes, representante da Associação dos Povos Indígenas Estudantes (APYEUFPA), afirmou que tanto o senso de responsabilidade de Riquelme quanto a angústia vivenciada por Josias são sentimentos comuns entre estudantes indígenas e quilombolas, que precisaram deixar suas comunidades para buscar uma qualificação profissional fora de seus territórios, em locais com hábitos e culturas diferentes.

Para acolher e receber da melhor forma possível esses novos estudantes universitários, todos os anos a APYEUFPA e a Associação dos Discentes Quilombolas (ADQ) realizam uma programação especial de recepção para orientar sobre os caminhos a serem percorridos dentro da UFPA. Vanuza Cardoso, coordenadora da ADQ, deixou uma mensagem para os 413 calouros que ingressaram com o PSE I/Q 2024.

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas