O Futuro do Café: Uma Jornada Genética

Cientistas desvendaram os segredos genéticos do café, abrindo caminho para cervejas mais saborosas. Pesquisadores na Itália montaram o mapa genético mais completo até agora do café arábica, a bebida mais popular do mundo.

A Ciência por Trás do Café

“Produzimos um novo mapa sequencial de café, o arábica”, disse Michele Morgante, da Universidade de Udine, na Itália. “Essa ferramenta pode nos dar maneiras de fornecer aos cafeicultores plantas melhores, que atraiam mais os consumidores e lidem melhor com as mudanças climáticas.”

O estudo usou a mais recente tecnologia de sequenciamento de DNA para examinar a composição genética do cafeeiro arábica em detalhes sem precedentes. O conhecimento permite que os cientistas conheçam os genes importantes na produção de café, como o sabor doce e suave característico da bebida.

Impacto nas Lavouras de Café

Os novos conhecimentos sobre a composição genética da planta ajudarão na criação de novas lavouras de café. Também pode ajudar os cafeicultores a desenvolver novas variedades de café com sabores e aromas específicos, bem como aqueles capazes de tolerar condições de cultivo mais difíceis.

O aumento das temperaturas e a imprevisibilidade das chuvas estão alterando as condições de cultivo dos cafeeiros, levando à diminuição da produtividade e ao aumento do ataque de pragas e doenças.

O Futuro do Café

O Dr. Aaron Davis, do Royal Botanic Gardens, Kew, disse que foi um “passo importante em nossa compreensão da diversidade genética do café, que pode ajudar a orientar o desenvolvimento futuro desta espécie agrícola economicamente importante e muito amada”.

Jeremy Torz, cofundador da empresa de torrefação de café com sede em Londres, Union Hand-torrated Coffee, disse que muito do que provamos e apreciamos sobre o café é resultado do trabalho dos cafeicultores – e a ciência os ajudará a desenvolver plantas que são adequadas para produzir um bom café em um ambiente em mudança.

“É uma garantia de que, com a combinação de boa ciência e agricultores apaixonados, a cerveja que amamos estará por aí de uma forma que conhecemos por muito mais tempo”, disse ele.

Os grãos arábica são considerados de sabor superior. O café é cultivado nas montanhas e responde por mais de 60% da produção mundial de café. O arábica tem resiliência limitada às mudanças climáticas; Os agricultores já estão sofrendo os impactos das temperaturas elevadas e das chuvas baixas ou irregulares.

Outras ameaças à produção de café incluem flutuações de preços, pragas e doenças e condições climáticas extremas. A grande maioria do café selvagem cresce nas florestas remotas da África e na ilha de Madagascar. Além da África, o café selvagem é encontrado em outros climas tropicais, incluindo partes da Índia, Sri Lanka e Austrália.

A indústria cafeeira mundial é dominada por duas principais culturas de café – arábica (Coffea arabica) e robusta (Coffeea canephora). Uma terceira espécie – Liberica (Coffea liberica) é cultivada em todo o mundo, mas raramente é usada para bebidas de café.

Com o avanço da ciência e a paixão dos agricultores, o futuro do café parece promissor. Apreciadores de café em todo o mundo podem esperar por sabores e aromas mais ricos e variados, enquanto os agricultores podem esperar por plantas mais resistentes e produtivas.

Edição Atual

Noticias Relacinadas