Desmatamento da Amazônia ligado ao aquecimento climático de longa distância

Sabe-se que quando as florestas tropicais são desmatadas, o clima nas imediações fica mais quente.

Neste último estudo, os investigadores queriam saber se a desflorestação na Amazónia estava a resultar no aquecimento climático mais longe, e o estudo examinou o impacto da perda florestal em locais até 100 quilómetros de distância.

Butt, pesquisador da Escola de Terra e Meio Ambiente de Leeds, disse: “Compreender o impacto da perda florestal na Amazônia é de importância crítica.

“O mundo está a ficar mais quente como resultado das alterações climáticas. É importante que compreendamos como a desflorestação do ecossistema amazónico está a contribuir para o aquecimento climático. Se a desflorestação estiver a aquecer as regiões vizinhas, isso teria grandes implicações para as pessoas que vivem nessas áreas”.

Como parte do estudo, os pesquisadores combinaram dados de satélite sobre a temperatura da superfície terrestre e a perda de florestas na Amazônia para o período de 2001 a 2020. O estudo, “O desmatamento da Amazônia causa forte aquecimento regional”, foi relatado na Proceedings of the National Academy of Ciências .

Os dados foram analisados ​​em 3,7 milhões de locais em toda a bacia amazônica. Os pesquisadores compararam o aquecimento ocorrido em regiões com níveis variados de desmatamento local e regional.

Os pesquisadores classificaram o desmatamento num raio de 2 km de um ponto de coleta de dados como local. Se estivesse mais longe, entre 2 e 100 quilômetros de distância, era classificado como regional.

Analisando os dados, os cientistas descobriram que nas áreas onde houve pouco desmatamento, tanto local como regionalmente, a mudança média na temperatura da terra durante o período de 2001 a 2021 foi de 0,3°C. Locais com 40% a 50% de desmatamento local, mas pouco desmatamento regional, aquecidos em média 1,3°C.

Em comparação, em áreas com desmatamento local e regional, o aumento médio da temperatura foi de 4,4°C.

Escrevendo no artigo, os pesquisadores acrescentaram: “O aquecimento regional devido ao desmatamento da Amazônia terá consequências negativas para os 30 milhões de pessoas que vivem na bacia amazônica, muitas das quais já estão expostas a níveis perigosos de calor”.

Impacto do desmatamento na Amazônia

Os cientistas também analisaram como o desmatamento futuro poderia aquecer ainda mais a Amazônia brasileira ao longo dos 30 anos a partir de 2020. Eles analisaram dois cenários, um em que o Código Florestal é ignorado e as áreas protegidas não são salvaguardadas. A segunda, onde existe alguma proteção.

No sul da Amazónia, onde a perda florestal é maior, a redução da desflorestação teria o maior benefício, reduzindo o aquecimento futuro em mais de 0,5°C no estado do Mato Grosso.

O professor Dominick Spracklen, da Universidade de Leeds e coautor do estudo, disse: “É bem sabido que proteger as florestas tropicais é crucial na luta contra as mudanças climáticas globais. Nosso trabalho mostra que proteger as florestas também trará grandes benefícios em escala local, regional e nacional.

“Mostramos que a redução do desmatamento reduziria o aquecimento futuro em todo o sul da Amazônia. Isto beneficiaria as pessoas que vivem em toda a região através da redução do estresse térmico e da redução dos impactos negativos na agricultura.”

Celso von Randow, pesquisador do Instituto Nacional de Pesquisas Espaciais do Brasil e coautor do estudo, disse: “No Brasil, são comuns estudos sobre a importância da conservação das florestas para o armazenamento de carbono, mas ainda faltam estudos sobre os seus efeitos biofísicos, o que é importante porque a Amazónia está a aquecer rapidamente devido às alterações climáticas e agora é agravada pela desflorestação.

“Novos esforços para controlar o desmatamento em toda a Amazônia brasileira foram bem-sucedidos e as taxas de desmatamento diminuíram no último ano, e agora vemos benefícios na possível redução do aquecimento que afeta as pessoas que vivem nesta região. Espera-se que o reconhecimento de tais benefícios resulte em um apoio mais amplo pelos esforços contínuos para reduzir o desmatamento e proteger as florestas”.

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas