Lamborghini se compromete a reduzir CO2 em 40% na sua produção até 2030

 

Acompanhando seus pares, incluindo Aston Martin, Jaguar Land Rover e Porsche, na contínua atualização de seus compromissos com a sustentabilidade, este último passo na estratégia “Direzione Cor Tauri” da Lamborghini, que envolve a eletrificação da linha de modelos e a descarbonização do local de produção, estende seu compromisso com a redução de emissões em toda a cadeia de valor.

A fabricante de automóveis de luxo afirma que a Direzione Cor Tauri oferece um pacto às gerações futuras – inspirando e servindo como modelo para inovação e progresso sustentável no caminho em direção à neutralidade total de carbono para a Automobili Lamborghini até 2050.

O presidente e CEO Stephan Winkelmann compartilhou os resultados até o momento e anunciou a nova ambição da empresa de alcançar uma redução de 40% nas emissões de CO2 por carro em toda a cadeia de valor até 2030 (em relação a 2021). Para alcançar esse objetivo, a estratégia engloba toda a empresa – desde a produção até a cadeia de suprimentos e logística, até a fase de uso do produto – cobrindo todo o ciclo de vida do produto e envolvendo toda a empresa em um compromisso coletivo para atingir a meta de reduzir as emissões em 40% por carro.

“Direzione Cor Tauri é nosso roteiro para a eletrificação da linha Lamborghini e o caminho para a descarbonização, não apenas de nossa instalação em Sant’Agata Bolognese, mas de toda a cadeia de valor: é uma abordagem holística para nossa estratégia global de sustentabilidade ambiental”, disse Winkelmann. “Em um contexto de grande transformação, todos precisam contribuir para alcançar os objetivos: esse compromisso se estende não apenas a cada indivíduo e cada empresa, mas também a instituições e governos responsáveis pelas infraestruturas e pela transição para energias renováveis. Nossa missão, como marca globalmente reconhecida, é inspirar e incentivar outros a enfrentar esses desafios contemporâneos. A Automobili Lamborghini é a prova de que uma visão sustentável é possível.”

Lançada em 2021, a Direzione Cor Tauri iniciou uma pesquisa aprofundada e contínua sobre as oportunidades e desafios apresentados pela eletrificação, o que resultou no início da fase de hibridização em 2023 com o lançamento do Revuelto – o primeiro veículo esportivo super híbrido de alto desempenho (HPEV, na sigla em inglês). Em 2024, o processo de eletrificação se estenderá ao lançamento da primeira versão híbrida do Urus Super SUV e ao segundo HPEV da linha, substituindo o Huracán. O lançamento do primeiro modelo totalmente elétrico – precedido pelo carro conceito Lanzador – está planejado para 2028, seguido pelo primeiro Super SUV totalmente elétrico da Lamborghini em 2029. Essa estratégia resultará em uma redução significativa nas emissões de CO2 em comparação com 2021 para a frota em circulação, com o objetivo de uma redução de 50% até 2025 e 80% até 2030.

As emissões globais de gases de efeito estufa equivalem a cerca de 59 gigatoneladas de CO2; e, contando apenas as emissões diretas do escapamento, o setor de transporte contribui com cerca de 15% disso. Até o momento, o inventário da Automobili Lamborghini é de cerca de 700.000 toneladas de CO2 equivalente, o que inclui todo o ciclo de vida dos veículos produzidos em 2021-2022 (inventário de emissões da cadeia de valor certificado de acordo com o padrão ISO 14064).

Embora as atividades de produção em Sant’Agata Bolognese representem apenas 0,001% das emissões globais de CO2, a responsabilidade que a empresa tem com a comunidade e o planeta é maior do que apenas o impacto ambiental.

“Almejamos ser a empresa de carros esportivos com o compromisso mais duradouro e genuíno com a sustentabilidade, por meio de uma visão geral das questões ESG”, diz o Diretor de Estratégia Stefano Rutigliano. “Temos uma equipe dedicada e interdepartamental trabalhando na implementação do programa Direzione Cor Tauri.”

Produção e meio ambiente circundante
A liderança em sustentabilidade da Lamborghini começou em 2015 – quando alcançou a neutralidade de carbono do local de produção de Sant’Agata Bolognese e sustentou isso nos anos seguintes, apesar de dobrar de tamanho. Desde então, muitas ações foram implementadas em toda a instalação que levaram a uma contínua descarbonização do local, explica o Diretor de Fabricação Ranieri Niccoli: “Várias medidas de sustentabilidade foram adotadas nos últimos anos, desde o estabelecimento do maior sistema fotovoltaico na região da Emilia-Romagna em 2009 até a certificação de alta eficiência energética de nossos novos prédios. Nossas atividades estão em andamento e visam reduzir o consumo de energia por meio de plantas de trigeração e aquecimento urbano, culminando na apresentação de um novo conceito para nossa oficina de pintura que minimiza o uso de água e emissões. Em 2022, essas iniciativas levaram a uma redução de 36% no consumo de energia por veículo em comparação com 2010.”

Outra iniciativa destinada a reduzir o impacto ambiental diz respeito à gestão dos recursos hídricos, com uma redução de 34% no consumo específico de água por veículo em 2022 em comparação com 2010.

A empresa também trabalha para melhorar o meio ambiente circundante, como demonstrado pela abertura do Lamborghini Park – um refúgio verde próximo à fábrica, onde foram plantadas 10.000 árvores de carvalho, proporcionando um habitat natural para fauna selvagem e um espaço recreativo para moradores locais e funcionários – em 2011; projetos de pesquisa com várias universidades italianas e europeias que incluem o biomonitoramento de poluentes

Edição Atual

Assine nossa newsletter diária

Noticias Relacinadas