Onda de frio polar atinge os EUA e afeta eleições e energia

Uma massa de ar gelado vinda do Ártico está causando uma onda de frio extremo nos Estados Unidos, que pode trazer neve, vento e temperaturas abaixo de zero em grande parte do país. O fenômeno, conhecido como vórtice polar, pode ter impactos na política, na economia e na saúde dos americanos.

Eleições em risco

Um dos estados mais afetados pelo frio é Iowa, onde acontece nesta segunda-feira (15) o caucus, uma espécie de assembleia popular que define o candidato do Partido Republicano à presidência. Os eleitores terão que enfrentar temperaturas congelantes para participar do processo, que é considerado um termômetro para as eleições de novembro.

O presidente Donald Trump, que busca a reeleição, não tem adversários de peso dentro do seu partido, mas os democratas têm uma disputa acirrada entre vários pré-candidatos. O favorito nas pesquisas é o ex-vice-presidente Joe Biden, seguido pelo senador Bernie Sanders e pela senadora Elizabeth Warren.

O frio pode afastar os eleitores das urnas, especialmente os mais idosos e os mais pobres, que têm menos acesso a transporte e aquecimento. Isso pode prejudicar os candidatos que dependem desses segmentos para conquistar votos.

Energia em crise

Outro estado que sofre com o frio é o Texas, que tem uma rede elétrica vulnerável a variações climáticas. O estado é o maior produtor de energia dos EUA, mas também o que mais consome, principalmente por causa do uso de ar-condicionado no verão.

No inverno, a demanda por eletricidade aumenta por causa do aquecimento, mas a oferta diminui por causa de problemas técnicos nas usinas e nas linhas de transmissão. Além disso, o Texas tem uma rede isolada do resto do país, o que dificulta a importação de energia de outras regiões.

A onda de frio pode provocar apagões e cortes de energia em várias partes do estado, afetando milhões de pessoas e empresas. O governo estadual já pediu aos consumidores que economizem energia e evitem o uso de aparelhos elétricos desnecessários.

Saúde em alerta

O frio também representa um risco para a saúde dos americanos, especialmente os que vivem nas ruas ou em locais sem isolamento térmico. As autoridades emitiram alertas de frio para mais de 15 milhões de pessoas, que devem se proteger do congelamento e da hipotermia.

O congelamento ocorre quando a pele ou os tecidos ficam expostos a temperaturas muito baixas, podendo causar danos permanentes ou até a perda de membros. A hipotermia ocorre quando a temperatura corporal cai abaixo de 35 °C, podendo causar confusão mental, perda de consciência e até a morte.

As recomendações são de usar várias camadas de roupas, cobrir as extremidades do corpo, evitar o consumo de álcool e procurar abrigo em locais aquecidos. Também é importante ficar atento aos sintomas de frio, como tremores, palidez, dormência, fadiga e dificuldade de respirar.

Edição Atual

Noticias Relacinadas